sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

My moon, my man...

O título do post é da música homônima da Leslie FEIST, que eu não páro de escutar.

A Carlinha continua nas suas listas de melhores do ano. Agora ela escolheu o livro do ano. Pra mim essa escolha é mais fácil. Com certeza, apesar de toda a dificuldade para terminar de lê-lo, foi Nenhum Olhar, do José Luís Peixoto. Esse maravilhoso autor português, que me foi apresentado gentilmente pelo meu querido amigo Tuga, me fez ver a literatura com outros olhos. A prosa dele é absolutamente maravilhosa, embora eu entenda que outras pessoas possam achar difícil esse jeito meio realismo fantástico, meio terrível até, mas incrivelmente lírico, de narrar uma história. Leitura sempre recomendadíssima.
Embora o Cemitério de Pianos tenha sido uma ótima leitura, um Peixoto mais refinado, o Nenhum Olhar é mais pungente, mais difícil, e por isso gostei mais.

Fora isso, estou de férias e é difícil ficar no ócio. Não tem sido muito criativo pra mim. Sou workaholic confessa. Talvez possamos ir à praia, mas ainda não sei. Não planejamos nada.
Ano que vem acho que vou comprar um desses.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Ho Ho Ho





sábado, 22 de dezembro de 2007

Então é Natal...

Copiado da Fernanda.


A propósito: se você me tirasse no amigo secreto o que me daria de presente?


Provoque seus leitores em seus blogs também. Acho que o que a gente ganha de presente pode ser revelador sobre o que as pessoas pensam de você.

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Porque só ela me acalma e me faz crer num mundo melhor.


"All Is Full Of Love" - Björk

you'll be given love
you'll be taken care of
you'll be given love
you have to trust it

maybe not from the sources
you have poured yours
maybe not from the directions
you are staring at

trust your head around
it's all around you
all is full of love
all around you

all is full of love
you just aint receiving
all is full of love
your phone is off the hook
all is full of love
your doors are all shut
all is full of love!

all is full of love
all is full of love
all is full of love
all is full of love
all is full of love
...

domingo, 16 de dezembro de 2007

Mistério ensagüentado


Taci e eu voltando do bazar na Pó de Estrela, sábado de tarde, solzão, viemos pela Lima e depois pegamos a Fernando Machado. Marcas de sangue no chão. Uns pingos. Seguimos. Vamos cruzar a Borges, mais sangue. Olhamos para frente, um engarrafamentão. Um povo amontoado na rua, no meio da rua, na calçada, passa um jornalista e um câmera correndo, o cara dizendo: "filma bem a reação das pessoas". Mais sangue. Perguntamos pra alguém o que estava acontecendo, o que era aquele sangue. O dono de um bar nos diz que passaram pessoas pintadas de vermelho, mas que ele não entendeu nada. E que o tumulto não tinha a ver com "os pintados". Uma mulher queria se jogar de um prédio, estava lá no alto e um bombeiro conversando com ela. Ficamos paradas ali, um tumulto. Daí a Taci me pergunta: "o que estamos fazendo aqui? Esperando a mulher se jogar?" E eu: "é, vamos embora, não quero ver ela se espatifar aqui". E fomos embora. Depois a Taci me ligou pra dizer que "os pintados" tinham passado pela Casa de Cultura, que tava um nojo aquilo lá. E eu encasquetada pensando o que era tudo aquilo. Daí hoje abro o Google Reader e me deparo com esse post. Mistério explicado.

No entanto, eu confesso que fiquei meio injuriada. Porque tanta gente se reune pra se fantasiar, se pintar e sujar tudo por aí, mas pra fazer algo que preste às vezes não se junta nem três pessoas? Pelas fotos que eu vi, tinha mais de 40 pessoas reunidas, maquiadas... e esses dias eu vi uma fila de pessoas sem teto, moradores de rua, mendigos, como queiram... em fila... na frente da Catedral. Até que eu vi o motivo da fila: um, eu disse UM cara, tinha no porta-malas do carro, comida e bebida e estava distribuindo para aquelas pessoas. Apenas um cara, dando uma marmitinha com comida e uma garrafinha com suco, pra umas 20 pessoas, moradoras de rua. Na frente da igreja. Os padres recolhem o quilo mas nunca os vi darem um prato de comida a qualquer daquelas pessoas que dormem por ali.

Então, um cara sozinho faz uma coisa incrível dessas. Uma galera se reune pra sujar ainda mais as ruas... a humanidade é nojenta, sabem? Eu sei que as pessoas querem se divertir, e têm todo direito (mas me digam desde quando zumbi sangra??? Morto não sangra!!), mas porque é que esse povo todo não aproveitou o ensejo para fazer algo legal mesmo, como ajudar os sem-teto, ou as crianças do Padre Cacique, ou um asilo???

Esse é o terceiro ano que eu pego duas cartinhas do Papai Noel dos Correios, pra mandar presentes pras crianças que pedem. Eu faço minhas pequenas ações individuais e tento contagiar os outros. Mas é difícil tentar fazer qualquer coisa coletiva...

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Lyrics


Complementando esse post.

Explode - The Cardigans
Ease your trouble
We’ll pay them double
Not to look at you for a while
And you rely on
What you get high on
And you last just as long as it serves you

Explode or implode
Explode or implode
We will take care of it

Explode or implode
Explode or implode
We will take care of it
Yes, we will carry you

’cause you’re deserted
What’s good, you hurt it
And it kills you it keeps you alive
So give it up
In a world of puppets
It’s a shame what they do to us all

Explode or implode
Explode or implode
We will take care of it

Explode or implode
Explode or implode
We will take care of it
Yes, we will carry you - sim, por favor, alguém me leve

Can we do anything for you know?

Explode or implode
Explode or implode
We will take care of it

Explode or implode
Explode or implode
We will take care of it
Yes, we will carry you
Explode

domingo, 9 de dezembro de 2007

Change your instrument size.


Spam. Dr. Fulano. Aumente seu pênis. Viagra. Cialis. Tudo baratinho. Vai aí?

Aborrecimentos da vida moderna. Spam. Vírus. Spywares. Fora os verdadeiros spywares, ou faquinhas, ou gente sem nada pra fazer. Agora o orkut bloqueia as fotos e o scrap book, isso não é ótimo? Um conhecido me disse que achou ruim: agora não pode mais fuçar o orkut das moças bonitas... na boa, acho isso trash pra caramba. Procurar namorada no orkut? Fuçar os álbuns dos outros, pessoas que tu nem conhece, pra ver gatinhas(os)? Vai pra rua, tchê. Beber com os amigos. Jogar conversa fora. Tuas chances de conhecer alguém interessante e verdadeiro com certeza serão melhores.

Porque a internet tá cheia dessa gente de vida "dupla". Em casa você é um, com seus amigos você é outro, e na internet você é totalmente diferente. A gente conhece umas pessoas assim, não? Eu já virei imã de malucos, eu sei. Eu sou estranha. Eu sou alvo de bad juju. Uns me amam, outros me odeiam e eu nem sou famosa. E daí surgem as mais interessantes situações.

Num mundo perfeito todos os meus amigos seriam amigos entre si. Mas o mundo não é perfeito, né? E eu, sinceramente, cansei de tentar agradar a gregos e troianos. E cansei de confiar em pessoas que não merecem confiança até prova em contrário. Falei. A Dani disse que eu falo tudo pra todo mundo. Mas não tudo. Não o que me pedem pra não falar. Se é segredo, esclareça. Morre comigo. E se não é, eu posso contar pra quem eu quiser. Porque eu, eu sim, tenho pouquíssimos segredos. O que é segredo meu, eu não conto pra ninguém.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

Percurso.


Sair do trabalho às 18:30, totalmente exausta, é sempre uma experiência sensorial. Hoje foi dia de justiça e de stress com a falta de noção, de educação, de bom senso, enfim, de tudo, das pessoas, especialmente esses servidores públicos. Tô aprendendo a ter verdadeiro ranço deles. A praça, o som alto e os gritos da professora da academia: "vamo lá, uhuuu!". Cheiro de mijo, cheiro de asa. Cheiro de milho verde com margarina. O canto dos pássaros. Cheiro de churrasquinho. Cheiro de pipoca. Cheiro de insenso. Cheiro de perfume. Prefiro não descrever a parte visual porque no centro só tem alienígenas, gente gorda, gente feia. Barulho de gente conversando, alguém toca uma música do Raul no violão e assobia. O shopping, a fila na lotérica pra jogar na megasena (eu já tinha jogado ao meio-dia). A fila dos caixas eletrônicos de banco. Carros. Cheiro de fritura e me deu vontade de comer bolinho de queijo. Cheiro de frutas. Escapamento de carro. Buzina. Uma mulher que caminhava atrás de mim e era toda barulho: os saltos dos sapatos, os brincos balançando, as contas do colar batendo umas nas outras, o tecido da calça fazendo barulho de uma perna roçar na outra, coisas numa sacola que se encontravam e produziam os mais variados sons. Eu, rezando pra que ela cruzasse a rua e deixasse de me perturbar com aquela existência totalmente ruidosa e insuportável. Um passarinho refugiado numa garagem e duas meninas tentando "resgatá-lo". Espelhos. Garrafas e mais garrafas de champagne. Eu querendo tomar uma inteira sozinha. Cheiro de cocô. Malditos esses donos de animais que deixam seus cachorros cagarem pela rua. Cheiro de pão, de doces, e de coisas gostosas. Um pedaço de torta fria de frango (já falei que amo isso???) de dois dedos de espessura, 3 empadinhas de frango, dois croissants de queijo, queijo, queijo, presunto. Só isso? Só. A bagatela de 12 reais no cartão de débito Visa. Eu cruzo a rua, pinguinhos de chuva no meu rosto e em mim. Cansaço total, fome, e uma sensação de derrota pelo dia de hoje, embora eu não saiba bem o que eu perdi (quem sabe foi algo que eu deixei de ganhar?). Árvore de Natal no saguão do prédio. Minha cara de acabada no espelho do elevador, olheiras lá nos joelhos (um deles roxo por causa de um joalhasso de pateta no carrinho mega pesado do escritório*), calcanhares mega doloridos porque foram comidos pelos calçados. Cheiro de casa limpa, a fada veio hoje. Olívia que me recepciona com miados. Como a torta fria com um copo de chá verde com abacaxi. Aqui estou. Logo me vou. Banho e cama. Hoje não tem pra ninguém. Boa noite.

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Dois torrões, por favor.


Preciso dormir mais. Porque tomar mais café do que eu já tomo não dá.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Filmes, livros e afins.


Filmes do findi:

Ratatouille - adorei. Fazia já um tempinho que eu queria ver o filminho e achei super bom. Muito divertido.
A Volta do Todo Poderoso - beeem fraquinho. Não dei nenhuma risada. Não recomendo.
Harry Potter e a Ordem da Fênix - eu não gosto do Harry Potter. Não li nenhum dos livros. O que eu acho dos filmes é que para quem não leu os livros é difícil de entender algumas coisas. E não entendo todo esse interesse na clássica história do bem x mal. Harry Potter é um mocinho em crise, sim. Não obstante, ele é o mocinho e disso ninguém tem dúvidas. Gary Oldman muito meloso pro meu gosto e o pobre do Ralh Fiennes como Voldemort? Não dá nem para aproveitar aquela cara charmosa. Não gostei. Muito fraco. Harry Potter só se f..., coitado.

Terminei de ler Enigmas da Culpa, do Scliar. O finalzinho ficou muito bom. Ele chegou no Pinóquio, história que eu tinha comentado com meu amado uns dias antes, um clássico da lição de moral e da culpa para crianças. Me interessou ler o original, porque o original é sempre mais cruel e verdadeiro que a versão Disney. Mais um livrinho pra minha lista de desejos. Agora peguei "O Passado" para ler. Vou ler e acho que até eu terminar o filme já estará disponível em DVD. Vamos ver. O próximo na fila das leituras é o Anybody Out There, que eu ganhei da Carol. Depois o About Boy que eu ganhei da Dani. Depois o Terra dos Homens, que o Nelsinho disse que mandou (hehehehe). Ainda tenho Cien Años de Soledad para reler. Vamos ver o que eu vou ganhar do meu amigo secreto (pedi livros ou cds).


Preciso fazer minhas unhas!


Essa semana enviarei cartões de natal e cartões postais do postcrossing. Estou chegando a 40 cartões recebidos. Não recebi mais porque mandei pouco, na verdade. Ando meio sem tempo. Prometi cartões em agradecimento aos que eu recebi, mas ainda não mandei. Comecei a me corresponder com uma japonesa, mas deixei a coitada sem resposta pra última carta. Recebi um postal do amigo tuga e nem agradeci. Mas eu vou me redimir, prometo.

domingo, 25 de novembro de 2007

Gimme a chance to hold on (de novo)...

E esse miau parece a Lili...




Esse tempo tá xexelento, não está? Semana inteira meio ensolarada, quente... findi nublado, chuvoso, friaca do cão. Que saco!




Não bastasse isso, sono! Queria ir pra casa dormir! Mas não posso. Trabalho, trabalho, trabalho! Então a Dani Borboleta me tirou no amigo secreto e eu achei que tinha sido a mãe dela, mas na verdade foi o pai dela que mandou o presente, o livro "About a Boy" do Nick Hornby. Mais um pra minha pilha. Mas tô no finalzinho do "Enigmas da Culpa" e devo passar ao "O Passado" em breve.




Cabelo novo! Em breve, fotos. Ao contrário de umas e outras, eu mudo mesmo, não fico mentindo pra bancar a gostosa descolada.




Fora isso, só encheção de saco. Dá vontade de mandar todo mundo à merda. Agora tá preocupada. Antes tanto fazia. Sempre eu tenho que resolver tudo e ser diplomática. Vontade que dá de dizer que se peguem como cães famintos e morram!




Desculpem o desabafo, mas é verdade. Quando é no dos outros, sempre é refresco, né?

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Clap your hands and say yeah!





Hoje estou para assuntos aleatórios. Pouco sono a mente não concentra em nada. Total dispersão. Vinha eu pensando num post super interessante quando ia para a praça, encontrar a Dani. O post vôou com a borboleta esfumaçada...
Carol escreveu algo que eu preciso comentar: "Quer saber, não me importa mais. Se as pessoas querem o pior, a feiura, a gordura, a burrice, a artificialidade, a falta de carater, o problema não é meu, não mesmo. E eu me lembro de uma música: hello little boys, little toys!!"
Eu saindo do trabalho, eu caminhando pelo meio da praça da alfândega, eu achando que estava cercada de alienígenas... gente do céu, cada criatura que a gente vê nesse centro. Algo me dizendo que eu não pertenço a este lugar, que meu corpo e minha alma vivem em outro lugar e isso é só um holograma que cruzou alguma espécie de portal para uma dimensão paralela, suja e feia. Quinta-feira estranha essa. Cansaço.
Voltando à frase da Carol, porquê, porquê?? As pessoas insistem, escolhem, desejam, ser feias, ser gordas, ser más, ser toscas e tudo de ruim. Escolhem, fazem porque querem. Eu queria um mundo bonito, de linhas limpas e claras, design arrojado, prático e funcional. No entanto o caos é o que atrai. A sujeira e a feiúra. Cada qual enfiado no seu buraco, escuro, úmido, mas protegido. Um lugar onde cada pessoa tosca desse mundo pode ser o centro de seu próprio universo.
Egocentrismo, conversamos eu e a Dani. Egocentrismo deve ter tudo a ver com esquizofrenia, eu acho... deixa pra lá.
Meu perfume deve chegar em no máximo 3 dias!! Yay!!! Eu estou apaixonada por ele, é muito bom! E no site da Sacks tinha frete grátis, maravilha!
E que merda é essa de 'ele é gay, mas não falamos a respeito'???
Tô dizendo, tô dizendo, as pessoas querem ser toscas.

sábado, 17 de novembro de 2007

5


Acabei de me dar conta de que tenho 5 blogs. Tem este, e tem o Novos Ares, que tem senha, e tem mais 3, acho que para testes de templates. Na boa, nem lembro mais. Tô precisando colocar em prática um feng shui virtual. Vi um livro: Arrume sua bagunça com Feng Shui. É bem disso que ando precisando.

Nossa camona nova chegou. Com os travesseiros de viscoelástico. Maravilha, maravilha, já dormimos um pouquinho à tarde para estreiar! Delícia de cama nova. Com espaço para nós 3!!! Eu, ele e a Lili. É uma box intermediária entre o queen size e o king size, tem 1,93 x 1,78.

Compramos e já montamos a nossa árvore de natal. Momento lindo!! Hehehe!! Nossa primeira árvore de natal, nossa, minha, dele e da Olívia. Olívia ficou curiosíssima, mas não chegou perto, com medo das luzinhas piscantes.

Então passei o Richesse marrom mel nos cabelos. Eu gostei. Escureceu um pouco, mas no geral, manteve a cor que já estava (no caso, Hawaii, da Alfaparf). Tem uns tons tão lindos!! E dá um super brilho, é um tonalizante profissional da L'Oreal. Para dar um brilho nos cabelos, mesmo pra quem pinta, dá pra usar de vez em quando, vale a pena. Acho que agora só vou usar esta linha. É difícil resistir à tentação de mudar de tom, mas vamos ver. Agora só vou pintar de novo no final de dezembro. Talvez faça umas mechas e jogue um 'milkshake' por cima. Uma das possibilidades dessa linha Richesse, absolutamente lindas as opções.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Christmas' all around us...


O Natal está no ar... aproveitamos o feriadinho pra ir dar uma volta no shopping para ver se dávamos sorte e pegávamos algumas lojas abertas. Esse ano vou comprar uma árvore de natal. Vou ter uma conversinha muito séria com a Olívia, porque não quero nem saber da gatinha achando que os enfeites da árvore são brinquedos.

Não havia muitas lojas abertas, então arrastei o amado pra Cultura e não resisti: me dei meu próprio presente de Natal adiantado, o livro de fotos Marilyn Monroe - O Mito, com o último ensaio fotográfico dessa diva. Com essa foto aí de cima na capa, lindíssimo.

E dei de presente pro amor o 'Rodolfo', o novo cd do Fito Paez, que ele ama. Dani, depois eu faço uma cópia pra ti.

No findi vou ver se compro a árvore e os poucos presentes que me programei pra comprar. Fora isso, cartões de natal para mandar pelo correio aos amigos. E, de novo, um presente para ser enviado pelo Papai Noel dos correios, como fizemos lá no escritório no ano passado e eu já tinha feito no ano anterior. Quando a gente tem, sempre deve dividir e agradecer. E eu sei que as coisas só tendem a melhorar pra mim e pro meu amado, por via de conseqüência. 2008 vai ser um ótimo ano, apesar de ser ano do Rato.

domingo, 11 de novembro de 2007

Profumo di Donna


Perfumes: sou louca por eles! E, para dizer a verdade, por quase todos da Calvin Klein. Uma paixão que começou no Ck One (ainda uso) e agora está no Euphoria Blossom (porque o Euphoria mesmo eu não gostei). Então eu tenho e uso: Ck One, Eternity (mas este, que é o o meu preferido, já está só no sopro, mimimi), Truth e Contradiction. Quero ver se alguém vai pra Rivera e compra pra mim mais um Eternity e o Euphoria Blossom. Outros que eu gostei, dos novos da Calvin Klein, foram Obsession night e Ck Crave. Nossa, o Crave é absurdamente bom, é cítrico, delicioso!
Meu amado quis me fazer uma surpresa de aniversário e se deu mal: pediu pra um amigo que ia para Rivera trazer o Eternity (porque ele também ama o perfume, em mim, claro) e o amigo trouxe o masculino. Bom, meu sogro é que se deu bem, ganhou um perfume ótimo. Meu amado não gostou muito.

Fora Calvin Klein, eu uso também o Glamourous da Ralph Loren, que é maravilhoso, e também está no sopro. Comprei ele em Montevideo e agora não acho em lugar nenhum! Acho que tiraram de linha, o que é uma pena porque esse perfume é apaixonante.

E estava usando o Natura Humor 1, que já acabou. Esse da Natura, além de ser mais barato, é levinho, bom pra todo dia. Tenho um perfume bem noite, que uso em poucas ocasiões especiais, que é o Sun Moon Stars, de Karl Lagerfeld.

Mas meu primeiro perfume do coração mesmo foi o Anaïs Anaïs, da Cacharel, que hoje eu acho terrivelmente enjoativo. E usava, claro, o Tathy d'O Boticário. Outro que eu não suporto mais.

Eu adorava o perfume da Dani: o Miracle da Lancôme, mas até ela enjôou. Me deu de presente e eu devolvi: muito doce. Perfumes com flores e outras essências doces não fazem a minha cabeça. Andei experimentando vários, para escolher um novo. Provei todos da Jennifer Lopez, só gostei de um, e os outros, como o Glow, são nojentérrimos, aquele cheiro de flores pestilento! Acabei adorando um da Dior, o Midnight Poison, maravilhoso! E o Bright Christal da Versace, além do cheiro ser delicioso, o vidro é lindo!
Vamos ver se agora no Natal eu me dou algum desses de presente, pra começar o ano novo de cheiro novo!

Para variar...




Livros, livros. Já comecei a ler "Enigmas da Culpa" e estou gostando muito. Mais uma vez, os judeus, a guerra, a culpa. Os judeus, a guerra, a culpa, em "A Menina que Roubava Livros", já emprestado para a Dani. Os judeus, a guerra, a culpa, por Moacyr Scliar, que me disse que sobre o lado jurídico da culpa ele pouco falou, por falta de conhecimento de causa, mas que ele acha interessante que os advogados pensem o lado psicólogico e humano da culpa. Larguei o "V de vingança" de lado, quadrinhos às vezes cansam, muita informação visual e tu acaba te prendendo mais nas ilustrações de que na história.
Tem "O Passado" na gaveta me aguardando. Nem vi onde o filme está passando. E essa noite sonhei com o Gael (ele é lindo, né?).
Sugestões de leitura? Tem algumas no meu multiply, como "O Homem Duplicado", que ganhei de meu amigo Tuga, lá em 2005. Tava dando uma olhada lá, e foi um dos melhores dos últimos dois anos, do lado do Peixoto (Dani, me devolve o Cemitério de Pianos!, senão vou esquecer).
Eu tinha que tomar vergonha na cara e ler mais livros jurídicos, eu sei. A gente tem que se atualizar, sempre. Já decidi que ano que vem vou fazer pós. Tenho só que me definir, ainda estou em dúvida entre direito processual civil e direito constitucional. Meu projeto de fazer mestrado em Letras continua de lado, acho que vai ficar de lado por um bom tempo... assim como o mestrado em filosofia (pelo menos a idéia de trabalhar com Hume ficou mais firme, graças ao tempo em que fiquei pesquisando, só falta definir o caminho a seguir, a idéia central já tenho). Bem geminiana, né? Querendo várias coisas ao mesmo tempo. Pior que eu vi no site da UFRGS que estão abertas as inscrições para o mestrado em Letras para o ano que vem, mas sem condições. Na UFRGS tu entra no mestrado praticamente com o projeto de dissertação pronto, eu senti isso quando fiz a seleção pro mestrado em filosofia. Os selecionados foram aqueles que já tinham meio caminho andando, eu e meu super amigo K-du, com milhares de idéias na cabeça e nada definido não tínhamos muita chance. Duas amigas minhas, uma mestranda e a outra doutoranda em Letras, me sugeriram tentar a PUC. Eu me formei lá, mas tenho ranço, sei lá. O mestrado em direito vai ser feito na UFRGS, com toda certeza. Não vou nem me dignar a ver nada na PUC. Mas isso são planos pro ano que vem. Esse ano eu ainda preciso de mais um pouquinho de férias.
O médico disse que minha tontura podia ser coluna, e fez todo sentido, já que na volta da viagem eu vim super tensa, por causa da baita turbulência que pegamos. E como dali dois dias nós íamos pegar um avião de novo, eu não consegui relaxar. Agora passou a tontura, e eu fiz massagem na sexta, já me ajudou, tava morrendo de dor nas costas. Acho que tô precisando fazer reiki de novo, adorei a minha primeira sessão.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Últimas da feira

A feira do livro hoje estava para lá de especial. Primeiro dia que eu consigo fazer algo além de dar "uma passadinha". Teve David Coimbra virando o pescoço pra me ver passar (me senti a própria garota de ipanema), eu podia ter dado um sorrisinho, mas passei séria. Comprei O Passado (mas vou acabar vendo o filme antes de ler o livro) e O Enigma da Culpa, este último do Moacyr Scliar. Ele me fez uma linda dedicatória. Perguntou se eu estava estudando. E eu disse que já era formada há tempos. Então ele disse: sério? Mas em que? Eu disse: sou advogada. E ele fez um "ah" suspirado e disse que médicos e advogados hoje em dia se formam cada vez mais jovens. Uma simpatia.
Teve também Rubens Edwald Filho, super simpático. E o vocalista da Cachorro Grande em momento super pai, uma cena muito meiga.
Amanhã, tem bazar na Pó de Estrela!!!! Convido todo mundo a aparecer, aquele lugar é muuuuito legal, e os bazares são show. No início do ano eu fui e comprei 2 vestidos lindos da Rufina, que agora vende na Saia (lá na Garibaldi). No último, comprei uma bolsa linda. Aliás, eu e a Carol. Eu comprei uma verde, ela uma azul. Fora que lá na Pó tem as coisinhas lindas que a Laura faz para vender. Para quem ainda não conhece, fica na Alberto Torres, pertinho da José do Patrocínio, ali na Cidade Baixa.
Ontem eu e a Tici fomos lá conferir o desfile da Espaço Boho, uma loja de roupas super legal que funciona no 2º andar da Pó. Tava ótimo. Depois saimos pelas lojinhas de roupas da Cidade Baixa, procurando coisas legais. A Tici comprou dois cintos, eu tô me guardando pro Bazar amanhã, vamos ver, tomara que eu ache algo bem legal.
Pro amigo Dr. Madureira me responder: amigo, o que a gente faz quando tem que dar um tiro no pé? Alguém fez uma merda e você tentou corrigir e quando viu está com uma arma na mão e o único alvo é seu próprio pé? Eu nem devia ficar p. assim, mas fico. Os clientes nem vão saber que eu fiquei p., mas eu fico p. Não quero juntar os documentos e até passou o prazo. Juntar esses documentos é dar um tiro no pé e eu fico tentando criar alguma argumentação para juntar com eles, mas não me ocorre nada. Maldita rescisória!!!

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

#201


Mais sonhos. Noites de vigília. Mal vejo a hora da minha cama nova chegar. A nossa caminha não comporta pai, mãe e Olívia. A gatinha anda muito espaçosa, e adora se espalhar por cima de mim, claro. Sonhei com uma pessoa não muito grata. Que ela ia dar um jantar em sua casa. E eu acabava entrando lá. Já havia sonhado com o apartamento dela mais de uma vez. Ele é sempre o mesmo, um lugar enorme, que tem uma vasta área não utilizada. É como se dentro do apartamento existisse outro. Uma parte cheia de arcos e uma decoração super exótica. O interessante é que essa parte nunca é utilizada nos sonhos que eu tive. Tenho certeza de que o lugar real é bem menor. Na verdade, o apartamento em que as pessoas circulam no sonho, é pequeno. Então eu entrava lá e a pessoa me encontrava.

- O que tu estás fazendo aqui?

- É melhor fazer a paz do que a guerra, não achas?

- É, tens razão.

- Precisa de ajuda?

E eu ia para a cozinha ajudar a preparar o jantar. E pessoas começavam a chegar, algumas conhecidas minhas. E para todas eu dizia isso: é melhor fazer a paz do que a guerra. Depois o sonho virou outra coisa, e eu tava tomando banho num chuveiro público em algum lugar do nordeste. E depois eu ficava tirando onda do meu colega de trabalho que não queria tirar nem a camisa para tomar banho no tal chuveiro.E tinha chuva, galinhas, coisas vermelhas (taças, pratos, vestidos), chocolate, sol, dia e noite no meu sonho. Será que o amigo Madureira interpreta esse? ;)

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Two hundred

Outro sonho interessante. Dessa vez sem duendes e bruxas. Eu ia numa autoescola fazer a tal provinha para renovar minha carteira de motorista e encontrava lá uma xará, de nome e sobrenome. Estou com isso na cabeça: minha carteira de motorista venceu há mais de mês, preciso renová-la. Não importa que eu não tenho carro (no momento). Nunca se sabe quando se vai precisar da carteira, né?
Mudando de assunto. Otorrino hoje. A tontura passou depois de duas semanas, mas os ouvidos continuam entupidos. O médico fez uma limpeza neles e tirou uma bola de cera que me deu horror!! Nojo. Me proibiu de usar cotonetes, que eu raramente uso. Nunca! - disse ele. Mas a limpeza não resolveu muito a sensação de entupimento e terei que fazer uma audiometria.
Otorrino pro amore, também. Ele com uma infecção no nariz e necessidade de operar o septo nasal o quanto antes. É uma cirurgia simples, mas eu morro de medo dessas coisas. Mas confio muito no médico, ele era meu vizinho quando ainda tava na faculdade e é um querido.
Ainda faltam uns 2 capítulos para terminar a "Menina que Roubava Livros" e eu já peguei o comic "V de Vingança" pra ler. Ganhei de presente do amado e já cheguei na metade.
Dei dois pulinhos na Feira do Livro, ontem e hoje, com minha lista da Cultura, para comparar preços e cheguei à conclusão de que é mais barato comprar pela internet. Vários sites com promoções e frete grátis. Brabo é escolher dentre os vários que coloquei na minha lista de desejos (já está em quase 3 mil reais no total, alguém tem pra me dar??).
Acho que vou comprar alguns desses 'best-sellers', como o "Infiel", já que agora estão em promoção. Quero o novo do Alain de Botton, também. E mais umas maluquices.
E esse é o duzentésimo post desse blog.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Silent Hill


Tive um sonho deveras interessante. Eu não lembro dele todo, mas já há duas noites que tenho sonhos malucos inspirados nesse filmeco chamado 'Silent Hill'. O primeiro foi meio de terror, mas o dessa noite foi muito intrigante e colorido. Sei que uma criaturinha pequena, quase um duende, com cabelos bem vermelhos, vinha a mim como uma criança e me abraçava, me pedindo perdão. Eu dizia que a culpa não era da pequena criatura, e ficava aliviada porque ela tinha vindo até mim, e não até uma bruxa que tinha cabelos super compridos. Eu dizia para o pequeno ser que ele deveria ter cuidado, pois andava com seres muito maléficos sem ter idéia do tamanho do mal que aquelas pessoas queriam lhe fazer. Eu tinha quase que um dossiê sobre essas pessoas maléficas (que não são de sonho, não. São very real), e mostrava tudo para a pequena, que ficava chocada. Então ela também me mostrava fotos e me contava sobre coisas que tinham acontecido e tudo se encaixava. Mas nesse meio tempo a bruxa fazia caras de top model internacional e tentava nos atrair. É engraçado porque eu nunca tinha pensado nessa pessoa que era a bruxa do sonho como uma pessoa má, eu sempre achei que ela era legal e meio sem noção. No sonho ela tinha um olhar horrível, de muita maldade mesmo. Estávamos numa espécie de parque, onde havia chafarizes e muitas flores. Era um lugar muito bonito e agradável. Não lembro como o sonho terminava, mas lembro de dizer várias vezes para o duende de cabelos vermelhos que ele tivesse cuidado com pessoas que tentavam enganá-lo, que criavam inimigos inexistentes, enquanto os verdadeiros inimigos eram elas, que rodeavam a pequenina. Enfim, uma viagem, mas que pra mim faz algum sentido.


Coisas boas do mês de novembro: minha Elle chegou, recheadinha, Reese Witherspoon na capa (a revista de outubro não veio, acho que alguém 'passou a mão' nela, mas ganhei um mês a mais na assinatura). Logo, logo chega a nossa cama nova. Compramos uma PUTA duma cama, enorme, travesseiros de viscoelastico e lençóis novos, claro, para caber na cama. Uma cama-box americana de molas, maravilhosa (é tão grande que ficamos com medo de não caber no quarto)! Tem feriado. E coisas boas no trabalho.


Dia de retornar ao trabalho, dia de cair na real: banco, pagar aluguel, filas, 'burrocracia', atender clientes no telefone. Mas dei de cara com a Dani Faxina no banco, um sarro! As duas loucas por pintar cabelos.

domingo, 4 de novembro de 2007

King of the Congo


Oh, Lord. Amanhã, tudo de novo.

sábado, 3 de novembro de 2007

Tim Festival

O que dizer? A Björk é linda! O show tava tudo de bom! Maravilhoso!!! Meu amado filmou um pouquinho:

video

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Busted!


É, parece que já me pegaram de novo. Ó vida!

sábado, 27 de outubro de 2007

Tudo é uma questão de manter...

... a mente quieta, a espinha ereta, e o coração tranqüilo.
Fosse isso fácil, o mundo seria um lugar maravilhoso, não?
Estou quase terminando "A Menina que Roubava Livros". O livro é muito bom. Estou gostando mesmo. Finalmente terminei o 31 songs. Minto. Terminei as canções e cheguei nos álbuns. Visitinha à Livraria Cultura, tentando achar algumas das indicações do livro. 100 paus, no mínimo, por um cd duplo com "The Velvelettes". No momento, não tô podendo. Além disso, quero comprar livros na Feira do Livro (ainda não fui, acho que só irei no próximo final de semana, quando todas as promoções tiverem acabado, mimimi :( ... ).
Enquanto isso, acho que o jetlag é, na verdade, labirintite. A tontura simplesmente não passou, já são quase 4 dias. Para variar, não quero ir ao médico. Minha sogra e a Dani me disseram que eu estou grávida, but I seriously doubt it.
Essa viagem de férias me mostrou que tem diferença, sim, ser casado no papel e só morar junto, embora muita gente diga que não. Um pedaço de papel faz toda a diferença na mente do ser humano. No hotel, só famílias e casais casados, de aliança. Pouca gente solteira. O destino não podia ser melhor. Que lugar maravilhoso mesmo. Mas esse lance do horário de verão f... com a gente. Bah, acordar todos os dias lá pelas 7 da matina, para quem não está acostumada, como eu, é brabo.
Tenho tido sonhos estranhos. Ontem vimos um filme meio chatinho, Sonhando Acordado, em que a personagem principal quer viver sempre o mesmo sonho, para se refugiar da realidade. Eu não acho que esse tipo de coisa seja a solução para qualquer problema, mas acho que os sonhos podem, sim, trazer mensagens importantes sobre nós mesmos. O que sentimos, o que somos, e, principalmente, sobre as coisas que fingimos não ver ou não queremos aceitar.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Imperfection


Plain - /pleyn/ Pronunciation Key - Show Spelled Pronunciation[pleyn] Pronunciation Key - Show IPA Pronunciation adjective, -er, -est, adverb, noun
–adjective
1. clear or distinct to the eye or ear: a plain trail to the river; to stand in plain view.
2. clear to the mind; evident, manifest, or obvious: to make one's meaning plain.
3. conveying the meaning clearly and simply; easily understood: plain talk.
4. downright; sheer; utter; self-evident: plain folly; plain stupidity.
5. free from ambiguity or evasion; candid; outspoken: the plain truth of the matter.
6. without special pretensions, superiority, elegance, etc.; ordinary: plain people.
7. not beautiful; physically unattractive or undistinguished: a plain face.
8. without intricacies or difficulties.
9. ordinary, simple, or unostentatious: Although she was a duchess, her manners were attractively plain.
10. with little or no embellishment, decoration, or enhancing elaboration: a plain blue suit.
11. without a pattern, figure, or device: a plain fabric.
12. not rich, highly seasoned, or elaborately prepared, as food: a plain diet.
13. flat or level: plain country.
14. unobstructed, clear, or open, as ground, a space, etc.
15. Cards. being other than a face card or a trump.
–adverb
16. clearly and simply: He's just plain stupid.
–noun
17. an area of land not significantly higher than adjacent areas and with relatively minor differences in elevation, commonly less than 500 ft. (150 m), within the area.

quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Caveira!


"Tropa de elite, osso duro de roer, pega um, pega geral, também vai pegar você!"

E pegou. Finalmente fui assistir o filme. Achei fantástico. Sensacional. Merece um Oscar, merece prêmios, merece Cannes e Sundance. Li a reportagem da Veja antes de assistir. Li o idiota do Diogo Mainardi (ele é que nem a Martha Medeiros, um texto muito bom para 9 muito ruins).

Como disse a Dani: puro entretenimento. Mas tem realidade também, e essa realidade é a polêmica da coisa, né? Na boa, eu tava na faculdade e pensava exatamente como Matias, nunca gostei de maconheiros. Quem fuma 'um' ajuda a comprar armas pra bandido e ponto final. Discurso de direita? Pode ser. Não vou dizer que todo mundo tem opção de não ser bandido. A frase que abre o filme diz muito sobre ele, mas não sei se concordo na integralidade. Ainda estou pensando se há, ou não, esteriótipos no filme. Me parece que os burgueses foram todos esteriotipados, porque eu defenderia a polícia com a mesma veemência que Matias a defendeu na aula de sociologia. Isso desde o meu primeiro semestre de faculdade. E o Caio Junqueira, gente? Faz eras que ele não aparece na tv, mas é um puta ator. Nem vou falar do Wagner Moura, acho ele feio que é um raio, mas sou fã do cara desde o Carandiru.

Eu ainda não sei se o consumo de drogas é mesmo caso de saúde pública sempre. Claro, é, é, mas não sempre. Eu volto depois para escrever mais, o jetlag ainda tá pegando e segundo a Wikipedia, pode durar vários dias... sensação nada agradável. Aqui tem um textinho interessante sobre o filme.

domingo, 14 de outubro de 2007

Zodíaco


Falaram bem, falaram mal, eu só sei que gostei do filme. A história é muito mais interessante porque é verdadeira. Fiquei com vontade de ler o livro. Eu gostei do Mark Ruffalo. Ele não está na sua melhor forma, por assim dizer, mas aquela voz é algo.

Sei que deve ter sido mesmo horrível, absurdamente horrível tu saber quem é o criminoso e não poder fazer nada! Não tinha CSI, né??? Eu acho que um FDP daqueles tinha que ser torturado pelo resto da vida pelo que ele fez. Mas o que aconteceu? Ficou um tempo preso por pedofilia e no resto do tempo teve uma vida "normal", sem grandes sobressaltos. Isso me deu uma raiva!

Depois o filme mostra o problema que é as polícias dos Estados Unidos não serem unificadas. É quase como ocorre com a polícia civil aqui no Brasil, não há nada unificado, o cara é foragido ali em Santa Catarina e vem pro Rio Grande do Sul tem ficha limpa, mó bagunça. Assim é fácil ficar impune.

O que o diretor pretendia mostrar mesmo é como a obcessão de umas pessoas em descobrir o criminoso acabou arruinando a vida delas. Principalmente a personagem principal, e o jornalista Paul Avery, vivido pelo sempre ótimo Robert Downey Jr (aliás, porque será que ele sempre faz papel de bebum e drogado??? hehehehe). No geral, eu acho que o filme vale ao menos pelo interesse histórico.

sábado, 13 de outubro de 2007

Simpathy for Mr. Vengeance


Ontem assistimos ao primeiro filme da trilogia sobre vingança do coreano Park Chan-Wook, Mr. Vingança ou Simpathy for Mr. Vengeance. O primeiro que tínhamos assistido foi Old Boy que, na minha opinião, continua sendo o melhor dos três. Depois vimos Lady Vingança no cinema, e ontem o Sr. Vingança. Mas, na verdade, há dois senhores vingança nesse filme, que é bem diferente dos outros dois, e ambos acabam se dando mal. Bom, a verdade é que as personagens vingativas, de um jeito ou de outro, acabam se dando mal em sua busca pela vendetta.

Eu achei, no entanto, que as mensagens de cada filme são bem diferentes. A personagem principal do Sr. Vingança é um idiota. Na boa, um baita idiota que só faz merda. Ele não tinha que se vingar de ningué, tinham era que se vingar dele, para ele deixar de ser imbecil. Depois a história vai ficando mais interessante, quando entra o segundo Mr. Vengeance em cena. Essa personagem é bem melhor e aí o filme fica mais veloz. No começo, é meio lento e meio chato mesmo.

De qualquer forma, vale a pena assistir, para tentar montar o quebra-cabeças da trilogia. Só que Old Boy é, realmente, o melhor.

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Holiday!!!!


Oh, yeah! Oficialmente de férias, can hardly believe! Férias, férias, férias. Segunda embarcamos rumo ao paraíso. Já comecei a arrumar as malas! Que maravilha, tudo o que eu precisava. Essa semana foi totalmente punk. Não bastasse todos os prazos, ainda ontem me arrumaram uma sustentação oral para fazer. Pura humilhação, causa meio perdida. Talvez a gente dê sorte e consiga arrumar a bagunça com um Resp ou um Rext, mas sei não...

Tubos de protetor solar a postos! Ontem fomos pro Dado Pub para um mini despedida. Tava bem legal, algumas fotos estranhas, muitas risadas. Para desopilar um pouco.

Vou fazer uma propagandinha, mas a Dani tá com um template novo lindo!!

Espero conseguir terminar de ler A Menina que Roubava Livros, para poder voltar pro 31 songs e depois quero ler o Fitzgerald. E o nome da mulher dele é mesmo Zelda, ora bolas!

segunda-feira, 8 de outubro de 2007

Samba do crioulo doido...

Que legal esse corte, né? Pena que o meu não fica assim. Meninos, não olhem pro decote da moça!

O que tinha eu para dizer sobre qualquer coisa? Esqueci. Volta e meia tenho esses brancos. O problema é que eu tinha pensado em trocentas coisas para escrever.

Por causa da Carol, eu tô baixando a tal Rihanna, vamos ver que tal. Ontem, Carol me deu uma receita de panquecas. Havia eras que eu queria fazer panquecas mas, como disse amigo Madureira, eu só faço troço incrementado, sô! Eu nunca fiz panquecas na vida, mas resolvi correr o risco. Só que tive que meter o bedelho na receita e acrescentei um singelo ingrediente: espinafre. E fiz panquecas verdes que ficaram ótimas (meio esbodegadas, a bem da verdade, que é difícil virar aquelas coisas!). E fiz tipo uma lasanha de panqueca, com molho de basílico e gorgonzola (o molho é da marca Salsaretti, pronto, prático, e super gostoso, e eu acrescentei o gorgonzola picado), e muito queijo e chester pra rechear. Tava bom!!! Para uma primeira tentativa, tava ótimo! Recomendo o espinafre na massa da panqueca.

Ah, sim! Queria falar sobre cabelos, claro. Carol quer cortar os cabelos e achamos uma foto bacana da tal Rihanna, com um corte bem legal. O corte que a tal dita está agora é mais ou menos o que eu quero fazer, mas meu cabelo tem que crescer. Fora isso, vejo fotos de mulheres com cabelos vermelhos (fora cor de tomate) e acho lindo! Cabelos louros: maravilhosos! Chocolate: deliciosos!! Eita indecisão! Tantas possibilidades (e eu pintei meus cabelos não faz uma semana, só de Hawaii, ficou um castanho avermelhado bem legal). Até de preto eu tava pensando em pintar e a Dani disse que eu ia ficar igual à mulher do meu blog (do outro blog, no template anterior, lembram?) Mas nah, deve ter sido um pequeno surto momentâneo, já que eu já pintei o cabelo de preto antes e ficou HOR-ROR-OSO! Eu parecia a Mortícia Addams no auge da putrefação, de tão pálida. Acho que no verão eu não resisto e fico loura de novo. Tem umas fotos que eu tirei ano passado, que estão no multiply, em que a cor e o corte e o comprimento do meu cabelo estão lindos!! Quero aquele cabelo de novo. Então não posso cortar. É um saco deixar crescer, mas paciência. Ao contrário do que todo mundo pensa, o marido quer que eu corte, ele adora o meu cabelo curto.

Fora isso, a Feira do Livro vai tomando forma, e a praça da alfândega vai ficando aquele caos. Hoje fui com o café pingando até o escritório. Eu vivo dizendo que não compro mais café no Mac, mas hoje tava com fome, tive que pegar um cappuccino na ida pro trabalho. O café, que sempre vem roubado, hoje veio cheio demais, derramou. E eu de saltinho no meio do pedregulho, já viram. Mas nada demais, sem lambança na roupa, pelo menos.

domingo, 7 de outubro de 2007

Shows, shows!!

Recebi um digest do Last.fm, informando que dia 17 de outubro vai ter show do Wander Wildner no Opinião, droga!!!!! Eu não vou estar aí, alguém vai por mim??? Show do Wander é sempre muito legal. O cara é um sarro!!!

E dia 4 de novembro vai ter show do The Cure no gigantinho. Putz, será que vou ter dinheiro? Alguém sabe mais sobre isso? Alguém vai??? Será que é verdade???

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Diga-me quem és...


Interessante como podemos ser várias pessoas. É difícil saber o que os outros verdadeiramente acham da gente. Será que sou uma pessoa querida? Será que sou uma pessoa legal? Será que meus amigos gostam mesmo de mim? Pareço inteligente? Pareço metida? Qual será a impressão que as pessoas têm de mim num primeiro encontro? O que leva alguém a querer se relacionar comigo?

Mas nós mesmos às vezes temos dificuldades de encontrarmos o nosso "verdadeiro eu". Somos todos metamorfoses ambulantes, para citar o Raul Seixas. Ou talvez não, talvez sejamos sempre os mesmos, com algumas variações. O certo é que os outros nos dão os matizes e cores que bem entendem, e as opiniões das pessoas sobre nós, algumas vezes, independem da realidade dos fatos e de nossas ações.

A atriz Scarlet Johansson, numa entrevista à revista Elle norte-americana, disse que as pessoas subestimam muito os pré-adolescentes, e que a pessoa que você é aos 13 anos, é a pessoa que você vai ser para o resto da vida. É um ponto de vista interessante, considerando que a nossa personalidade (na minha humilde opinião) começa mesmo a se formar por essa idade, tendo em vista que antes disso ainda somos crianças e não temos muita opinião própria (apesar de expressar nossos gostos e desgostos), mas enquanto crianças estamos muito apegados aos nossos pais e não temos muita visão crítica sobre o mundo. Os pré-adolescentes e os adolescentes são chatos, não? Mas justamente pela rebeldia característica da idade, que nada mais é um começo de realmente ver o mundo e entender seu lugar nele.

De qualquer forma, seria interessante se pudessêmos saber o que as pessoas realmente pensam de nós.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Se arrependimento matasse...


Não que eu fosse morrer, mas realmente me arrependi... fiz uma extravagância dia desses... saí de uma audiência na JT e fui pro shopping. Fazia tempo que eu queria ir na Anna Pegova ver os tratamentos de pele e tal. Resolvi na hora fazer uma limpeza de pele, a última vez que eu tinha feito isso eu devia ter uns 15 anos (???).

Tipo, saí de lá com a cara amassada, os cabelos gosmelentos dos produtos que a esteticista passou, e a pele bem avermelhada. A esteticista me disse que eu estava com a pele muito desidratada. Não é sensacional isso de ter pele oleosa (que cria "vínculos") e desidratada ao mesmo tempo?? Enfim, ainda não acertei um creme bom pro rosto. Estou usando um antistress da Avon, mas não é o ideal.

Fui pra casa, tomei banho, acham que o marido notou qualquer coisa? Tudo bem, ele é homem, e segundo o Içami Tiba, homens não foram feitos pra notar essas coisas. Mas acham que alguma amiga minha notou qualquer coisa??? Aliás, acham que eu notei qualquer diferença??? Para mim, os cravos continuam todos lá, e a pele continua a mesmíssima coisa. Foi relaxante fazer a limpeza, eu confesso, quase dormi, mas, na boa, eu podia ter pago 3 (três) massagens com reiki com a minha xará com o dinheiro que eu gastei na Anna Pegova. Eu disse TRÊS!!!!

Tudo bem, não tô devendo pra ninguém, nem pro cartão de crédito, mas agora no finzinho do mês, bem que esse dindim tá fazendo falta. Tô até ouvindo a Dani me dizer: LOUCA!! É, eu tenho esses meus ataques de vez em quando. Servem apenas para refrear meus impulsos de Maria Antonieta, mas volta e meia eles vêm com força total... minha mãe sempre me disse que eu vivo como uma princesa, então preciso ganhar dinheiro pra isso.

(Ai, não consigo parar de escutar 'Consolation prizes' do Phoenix...)

sábado, 22 de setembro de 2007

Clube da luta


Primeira regra do Clube da Luta, esse filme que eu gosto tanto que até comprei o DVD: "nós não falamos sobre o clube da luta". Pois é. A Simone veio me perguntar sobre um post que eu escrevi aqui, um post bem pessoal. Ela disse que as pessoas não falam sobre isso. Pois, amiga, eu falo. E por isso que esse blog tem senha, justamente para que eu possa escrever sobre tudo o que eu quiser. E por isso que não tive problema nenhum em te contar a história, porque quem entra aqui é porque é considerado meu amigo. Quem não é amigo, não tem convite, não pode ler (e se morde por isso, não é incrível?). Só assim para eu manter a autenticidade e a privacidade. O mundo tá cheio de urubus. Mas eu falo sobre o clube da luta. Qualquer hora eu escrevo para falar mais sobre o clube da luta, sobre essa gente que gosta de dizer: quando eu crescer, quero ser como você... qualquer hora eu escrevo sobre gente que sacaneia e que não vê o quanto é infeliz... E eu?? Eu, o que eu fiz, como sempre, foi existir. E simplesmente porque eu existo, tem gente ficando verde de inveja... Mas deixa assim.

No mais, mal posso esperar minhas férias!!!!! Essa semana, que não tem feriado, graças a Deus!!!! Eu vou ver se consigo baixar a pilha e dar um jeito de deixar as coisas mais ou menos em dia.

91% sexy... mazá!!!

Tô até me achando agora!!

SexyTester.com says I'm 91% Sexy! How sexy are you? Click here!

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

Testezinho

Eu já sabia... alguém tinha alguma dúvida??

84%How Addicted to Blogging Are You?

Completely Free Personals from JustSayHi

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

Saia da rotina, ligue 23!


Então ontem eu e a Dani fizemos uma happy hour, reunião Tupperware, como disse o marido da Adri. Muito legal. Totalmente fora da nossa rotina, papos totalmente nada a ver com direito, com leis, com processos, muito bom. Quarta-feira e a pessoa aqui se entalagou no champanhe, depois acordei mal, mas pelo menos o sal de andrews fez efeito e, fora a dor no corpo (acho que eu joguei futebol dormindo e não lembro), deu pra passar o dia de maneira razoável. Fomos eu, a Dani, a Dani, e a Adri, que nenhuma de nós conhecia pessoalmente. Antes, teve experimentação das roupas lindas que a Adri faz, aqui em casa. Acabei ficando com duas blusinhas fofíssimas, que pretendo estreiar em breve. Faz muito bem a gente conversar com pessoas divertidas e diferentes do habitual. A maioria dos meus amigos ou é advogado, ou é da área, e às vezes os papos ficam meio chatos porque a gente acaba falando em direito, nem sempre em trabalho, mas assuntos jurídicos. Claro que eu gosto desses assuntos porque eu gosto do que eu faço, mas para desestressar, de vez em quando, é ótimo poder ouvir falar de Cannes, figurinismo, publicidade, psicologia, artes plásticas, nossa!! Muitos assuntos. E muitas risadas, com direito a banho de champanhe no final! Mas isso é sorte!

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Megalomania!!!


Sim, o que mais tem por aí é gente doida que pensa que é o centro do universo. Mas eu tenho mais o que fazer. Por mais que fosse divertido fazer aquilo que eu pensei, e que a Dani sabe o que é, eu não farei (me mordendo de vontade, mas enfim). Seria, realmente, engraçado. But: Fuck the fuckers! E era isso... até porque eu, a Dani, o Marcelo, e mais outras pessoas, sabemos que a coisa não é por aí e o buraco é mais embaixo, ah! se é!

E sobre a megalomania a gente escreve noutro post...


Apenas para não perder o raciocínio...Ontem eu tava de papo com o Carlos no msn. Gosto de falar com ele, apesar de não nos conhecermos pessoalmente, porque sempre temos essas conversas aleatórias e edificantes sobre nosso jeito de ver o mundo em geral. A mesma coisa com Dr. Nérso, ou Chicão, ou Chico, ou Madureira... adoro conversar com ele, a gente tem vários papos de bar através do msn... pena que ultimamente não temos tido muito tempo. Então a gente tava conversando sobre relacionamentos e tal. Eu dizendo que geralmente sou faca na bota e falo o que eu penso, e isso às vezes causa desconforto nos outros, tem gente que até me chamar de "rude" já chamou, mas deixa assim. E ele me perguntou com quem eu conversava se eu tinha um problema com meu marido, já que eu disse que não gosto de churumelas. Mas como eu disse pra ele: desabafar os problemas é uma coisa, ficar de churumela é bem outra. Porque tem gente que fala, fala, fala, mil vezes no problema e sabe qual é a solução, mas simplesmente não toma uma atitude. Poupe meus ouvidos, tá? (Aliás, peço desculpas às amigas por eventuais deslizes meus). Outra coisa é você estar chateado por qualquer coisa e querer uma palavra de consolo. Nem tudo é um problema, e nem tudo tem outra solução além de falar a respeito, processar e seguir adiante. Mas se eu tenho um problema com meu marido, geralmente eu espero a raiva passar, se for o caso, e depois eu converso diretamente com ele. Ora, se o problema é com ele, só ele pode resolver. O mal da maioria das pessoas é que elas gostam de se queixar, mas tomar atitudes com relação às coisas que incomodam, geralmente são das mais trágicas/drásticas ou, então, simplesmente não fazem nada, além de alugar ouvidos amigos para despejar as lamentações. Sinto muito: não sou o muro. Não despeje suas lamentações sobre mim. Todo mundo tem seus momentos "mimimi" (lembram do Chaves chorando no seriado?), é do ser humano. Mas algumas pessoas fazem disso um (mau) hábito. E a verdade é a seguinte: qualquer relacionamento, para dar certo, precisa de muita paciência. E respeito. Na boa, sem respeito, pra mim, acaba tudo. Eu não consigo nem olhar na cara de alguém que eu não respeito. Putz, quando minha sogra me contou que meu marido deu um tapa na ex-namorada dele, na frente dela, eu achei que ela tava falando de outra pessoa. Que tipo de ser humano consegue estar num relacionamento assim? Em que tomar um tapa, mesmo que não seja forte, é normal? Ela disse que eles não tinham vida. Eu sei lá, é a visão dela, e pelo que ele me contou, respeito era uma coisa meio em falta naquele relacionamento. No entanto, eles viveram 4 anos assim. O ser humano é especialista em empurrar as coisas com a barriga, não é mesmo? Mas comigo a coisa é bem diferente. Da única vez que meu ex me faltou com o respeito, e rolou uma agressão física, eu não pensei duas vezes: nós não temos mais nada para conversar, e foi assim que acabou. E eu já vinha empurrando o relacionamento com a barriga (que tava bem grande por sinal, com 20kg a mais no corpitcho) por mais de ano, e talvez tivesse empurrado ainda mais tempo, não fosse o referido episódio que aconteceu na noite do Oscar 2005 (é, acho que nunca vou esquecer). Ainda bem que o negócio foi leve, se tivesse sido mesmo sério, eu digo uma coisa: eu teria feito de tudo para criar todo tipo de entrave na vida do sujeito. Com certeza, ele demoraria muito tempo a conseguir sua carteirinha da OAB se eu tivesse que registrar ocorrência. Sei que não deixaria barato. Se tem coisa que eu não tolero é agrassão física, isso vai além da falta de respeito, é uma falta de tudo. Mais interessante era o indíviduo esse em questão, dias depois, chorando na frente da minha casa, pedindo para voltar e dizendo que me amava... se isso é amor, prefiro não amar. Não ser amada, não saber o que é isso, com toda sinceridade. Bom, águas passadas, bem passadas, graças a Deus. Não vou dizer que meu relacionamento atual é perfeito. Mas digo que é perfeito pra mim. Sem esforço, sem um pouco de abnegação, não há amor que dure. É preciso muito mais que uma cabana. Só que eu sei que uma coisa é um pouco de abnegação, e outra, bem diferente, é a pessoa se sujeitar, se rebaixar, se vitimizar, se colocar em situação de inferioridade. Disso, não há volta. Pior é que tem gente que só sabe se relacionar se for assim. Para mim, as coisas têm de funcionar na base do respeito, da igualdade, da sinceridade, acima de tudo. E sei que muita gente aí, que adora cantar felicidade, no fundo, ou, melhor, na superfície mesmo, não tem nada disso que eu falei no seu relacionamento. Só que eu não preciso julgar ninguém. A vida julga, a vida ensina, e como diria Sartre: o inferno são os outros. Assim como tu podes ter alguém que é o paraíso pra ti. (E isso me lembra o Ralph Fiennes, que eu amo, no Jardineiro Fiel: I don't have a home, Tessa was my home. Quem tem, tem, e quem não tem... perdoa. Hahahahahahaha!)

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Projetos!!


Literários, musicais!!! E férias!!! UHUUUUUU!!! Morro de São Paulo e também uns 3 dias em Sampa City, com direito a Tim Festival e Björk. A parte que tange à Björk vai ser do maior interesse da Daniela e de mi hermanita... mas não posso falar, só se a coisa se confirmar. Sei que a idéia em si já me deixa 'thrilled'!!!!!!!! Very excited!!!


E depois tem o Peixoto e a possibilidade de conseguir trazê-lo para a Feira do Livro! Torçam por mim e pela minha capacidade de fazer networking...

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Olha nos meus olhos...


Estou seriamente desconfiada de que alguém que não foi convidado a ler este blog, anda lendo. Como? Não tenho idéia... mas eu digo que, se eu confirmar minha suspeita, e descobrir quem é o FDP, dessa vez, não vou deixar passar. Pode ser que quem lê isso aqui ache que não tem nada demais nos meus posts, e não tem mesmo, mas a questão é que eu não quero que todo mundo leia, especialmente seres que merecem ser cuspidos...

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

back to the future


Londres, 10 anos atrás. O post que eu queria escrever sobre a minha viagem a Londres parece daquelas coisas encantadas... tenho tudo na memória, mas não consigo descrever, nem contar, nem explicar... outra hora, quem sabe... esse rascunho de uma frase tava guardado há horas, já são 11 anos...

sábado, 18 de agosto de 2007

Quase uma carta...


Eu tenho uma meia-irmã argentina (na verdade, são 4 meias-irmãs argentinas, 3 mais velhas e essa mais nova). Nos conhecemos por e-mail ano passado, através de outro meio-irmão. Sim, meu pai, uruguayo sem vergonha, ainda por cima fez vários filhos pelo Mercosul. Por causa da hermanita, que também se chama Ana, como a minha irmã (filha da minha mãe), eu cheguei à conclusão que gostar de Björk é algo genético. Ela tem 18 anos, só. E enxerga as coisas com uma clareza que me espanta. Me mandou um mail depois de um sumiço da net. Quase chorei. Vou transcrever por que vale a pena ler.



extraño mucho mi casa de Zarate. extraño estar en mi cuarto, mirar por la
ventana el atardecer en los dias de verano. y tambien los dias en que se
presentia la primavera, cuando el frente se llenaba de flores. el barrio era
muy lindo, muy tranquilo. y aca no es asi. la gente esta muy acostumbrada a
tratarse mal. y al ruido. mucho ruido. yo trato de ser gentil, de ayudar, y
las personas se sorprenden mucho, no es tan comun eso aca.

supongo que como sociologa voy a tener que vivir en la ciudad. pero a veces
la gente me molesta tanto..
este año va siendo muy raro. el otro dia pensaba justo eso. mi vida es muy
muy diferente a lo que era antes. hay cosas mejores, varias, y otras no,
otras cosas son peores. y me di cuenta que yo no elegi cambiar, fue algo que
paso sin que yo lo pidiera. a veces la vida hace lo que se la da la gana.
con mi familia ya no hablo mas. solo con mi mama, mi papa, y juani. pero con
los demas ya no. quedamos muy mal despues de la mudanza y la venta de la
casa. y ellos nunca mas nos buscaron. es muy raro, porque antes eramos muy
unidos. no pense que alguna vez podia pasar.
tambien me distancie un poco de mi amiga, la unica que tenia. ella vino a
vivir a buenos aires tambien, pero nos vimos unas pocas veces, y el año que
viene va a volver a zarate.
es como si tuviera que empezar a vivir todo otra vez, como si no tuviera
pasado.

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Criador dinâmico!!

Adorei esse teste de personalidade que roubei da Amiga Bi.

about you: You are a Creator

Your imagination, confidence, willingness to explore, and appreciation of beauty make you a CREATOR.

You are independent, and you enjoy your self-sufficiency.

Defying convention, you are very innovative, and you have a vivid imagination.

The look of things is important to you, and you have a keen eye for aesthetic beauty in multiple arenas.

You have a strong interest in what is new and exciting—and that includes forging ahead with new ideas, not simply discovering what is already out there.

Your eagerness to seek new and varied experiences leads you into many different situations.

You're not set on one way of doing things, and you are creative when it comes to finding novel solutions to complex problems.

You trust yourself to be innovative and resourceful.

Your confidence allows you to take your general awareness and channel it into creativity.

You have a strong sense of style and value your personal presentation - friends may even seek your style advice from time to time.

Generally, you believe that you control your life, and that external forces only play a limited role in determining what happens to you.


If you want to be different:

Appreciate the earthly, practical elements of things—there is beauty in form as well.

While you are good at thinking abstractly, focusing on details a bit more may help you discover things about the world.

how you relate to others: You are Dynamic

As someone who is DYNAMIC, you do not have a hard time meeting new people, and you have a bunch of close friends.

You are not overly concerned with what others may think about you, which leaves you free to be thoroughly involved in the world around you.

There are those who find being around people exhausting—but not you! Interacting with others, whether at a party or in conversation, gives you energy.

You have a strong sense of what the world is like and how it should be.

You have enormous respect for those who have earned their success, and have little patience for those who try to bend the rules or ride on the coattails of others' hard work.

Believing in the importance of integrity and hard work doesn't stop you from believing that people will do the right thing—you know that people are good at heart.

You sometimes have trouble understanding why others feel the way they do, but it doesn't stop you from having faith and trust in those around you.

Part of what makes engaging with people so interesting for you is that you occasionally learn something new about yourself or about a problem you're having when discussing things with others.

Your strong worldview leads you to believe that people shouldn't rely on their emotions so much when making decisions.


If you want to be different:

Taking some time to explore others' perspectives could make spending time with people even more compelling than it already is.

Making an effort to see the complexities of situations might open your eyes to alternative perspectives of how the world works.

Those who are as outgoing as you are often need to remind themselves that time alone can be just as fulfilling—take some time for yourself and you might find that there are many things in your inner world that are just as compelling as the world outside your window.

Campanha!!


Cara dura minha, eu sei. Tô devendo cartas e tal... mas vou aderir à campanha. Já prometi mandar um postal pro seu Dr. Chico Madureira, e voltei pro postcrossing: 1 postal para o Japão e outro... adivinhem??? Finlândia!! hehehehe Fora isso, tenho que agradecer a receita das esfihas sírias que ficaram ótimas, apesar de eu ter colocado pouco sal. Entre nessa campanha você também! Adoro receber cartas! Tirei a imagem do Alfarrábio.

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Bad hair day


A bateção vai dando nos nervos. Os vidros estavam caindo, é a justificativa. Nós, sanduíches no meio do barulho: troca de vidros em cima, e embaixo. Trabalhe-se com um barulho desses.
O cabelo, uma coisa: ajeitadinho no que deu para fazer. Não há como um cabelo sobreviver a este clima. Li na Elle americana sobre uns produtos específicos para dias de chuva (embora hoje não esteja chovendo, ontem choveu e o cabelo foi seriamente afetado). Queria que esses produtos chegassem aqui. Vã esperança: a revista era de 2005.
Aguardo ansiosamente a minha Elle americana de setembro. Perdi a Sarah Jessica, espero que setembro seja um mês melhor. Meu amado me agourando e dizendo que não vou receber a revista. Pois vou, ora essa!
O café, uma tintura. Fazer o quê? Acrescentar um pouco d'água e rezar para não ter gastrite. Não estou reclamando, estou apenas constatando.
Aquele ditado "quando um não quer, dois não brigam", aplica-se a quase tudo. Serve para "não se pode ajudar quem não quer ser ajudado" e "não se pode cuidar de quem não deseja ser cuidado". Não se pode nada contra a vontade alheia, a não ser que se manipule, se chantageie ou se utilize de violência.
Minha mãe dizia, sempre citando a tia sei lá quem, que homem quando não quer, não adianta dar de colher. Serve para as mulheres, também. Triste é ver a metamorfose ao contrário: borboletas virando lagartas.
Enquanto isso em Lalaland: desafiaram-me. É, de novo. Esses desafios de blogs provavelmente servem para justificar a própria existência dos mesmos. As 5 melhores invenções da humanidade. Ainda estou pensando, ando sem inspiração, mas na verdade existem várias coisas que eu acho fantásticas nesse mundo, inventadas por seres humanos, dignas de nota. Aguardem.
Pelo menos o sol volta a brilhar nessa cidade. Este inverno já passou da hora, está me deprimindo totalmente. Quero poder usar uma roupa levinha, sapatos leves...
Eu quero sapatos novos (a Imelda Marcos que vive dentro de mim não sossega!). Botas novas, também. Um casaco de lã, mas isso tá difícil de achar nessa cidade. Acho todos caros e feios.
Vontade de sushi. E, argh!!! Eu preciso fazer as unhas. Tô surtando por falta de cabelereiro e manicureeeeee!!!

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

In desperate need of...


... uma massagem, pelamordedeus... ontem fui à JF sem carrinho e me dei mal... voltei me dobrando para conseguir carregar todos os processos, minhas costas estão demolidas! E alguém me explica porque fazem essas pias de cozinhas e banheiros tão baixas??? Para anões!!! Quase morro para lavar a louça!

Eu tô querendo o japa que fazia massagem na minha mãe, mas ele morreu!! Ó, céus!! Eu ando assim: orfã de tudo!!! Sem cabelereiro (lá vem ela de novo!), sem manicure, sem massagista (pessoa fina...)!!!! É uma desgraça! E ainda esse tempo úmido e frio do caramba, só pra deprimir!

Mas tá, eu vou dar um jeito. Já descobri um podólogo maravilhoso. Vou ver se consigo marcar com o Elison, e Deus queira que a gente se dê bem, Dani! E vou na manicure que a Dani me indicou, que é pertinho de casa. Tomara que eu tenha sorte. Que sejam bonzinhos e queiram me adotar. Alguém me indica um massagista??

Ai, queria estar num solzinho, quentinha, relaxada, que nem nessa foto...

sábado, 28 de julho de 2007

Desafio


Faz tempo que me fizeram esse desafio, mas agora resolvi responder...

Se eu fosse... Se eu fosse uma hora seria quatro horas da tarde (hora do chá das 5!), Se eu fosse um planeta ou astro seria a Lua, Se eu fosse uma direção seria o Sul, Se eu fosse um móvel seria uma cama, Se eu fosse um líquido seria a água, Se eu fosse um pecado seria a preguiça, Se eu fosse uma pedra seria uma esmeralda, Se eu fosse uma árvore seria um Olmo, Se eu fosse uma fruta seria uma pêra, Se eu fosse uma flor seria uma estrelitza, Se eu fosse um clima seria certamente tropical, Se eu fosse um instrumento musical seria um violão, Se eu fosse um elemento seria ar, Se eu fosse uma cor seria vermelho, Se eu fosse um animal eu seria uma gata, Se eu fosse um som seria o som do vento, Se eu fosse uma música seria "breath me", Se eu fosse um estilo musical seria techno, Se eu fosse um sentimento seria amor, Se eu fosse um livro seria o "Cleo e Daniel" de Roberto Freire, Se eu fosse uma comida seria um bom spaghetti al sugo, Se eu fosse um lugar seria uma praia paradisíaca, Se eu fosse um gosto seria o gosto de torta de limão, Se eu fosse um cheiro seria o cheiro de capim-cidró, Se eu fosse uma palavra seria saudade, Se eu fosse um verbo seria abraçar, Se eu fosse um objeto seria uma caneta, Se eu fosse uma peça de roupa seria uma saia, Se eu fosse uma parte do corpo seria as mãos, Se eu fosse uma expressão seria sorrir, Se eu fosse uma personagem de um desenho animado seria a Cinderela, Se eu fosse um filme seria "Minha Vida Sem Mim", Se eu fosse uma forma seria redonda, Se eu fosse um número seria o 7, Se eu fosse uma estação seria o Verão, Se eu fosse uma frase eu seria "For by this light I see thy beauty, thy beauty that doth makes me like thee well" (Shakespeare). E vocês o que seriam?

terça-feira, 24 de julho de 2007

Cansaço...


Tenho andado cansada pra caramba. Muito trabalho. O problema do trabalho mental, na minha opinião, é que ele cansa muito mais do que o físico. O físico é uma benção ao intelecto. Trabalho braçal, desde o mais trivial (lavar a louça) ao mais pesado (estiva), limpa a mente e previne pensamentos maus, pensamentos bobos, pensamentos tristes, pensamentos preocupados... Porque do trabalho mental é difícil desligar-se... a gente fica pensando, pensando, nas coisas que fez, nas que tem que fazer, prazos, prazos, prazos...

Eu só penso em férias. Eu só falo em férias. Eu não assisto tv. Eu só trabalho, mesmo quando estou fora do trabalho, estou pensando em trabalho, estou trabalhando... Porque eu quero ganhar mais, eu preciso ganhar mais, eu quero comprar todas essas coisas que eu quero comprar e não tenho nenhum problema em admitir que sou consumista (você também é, admita!), e nós queremos comprar um carrinho, nada melhor que ser burguês.

E eu tenho mesmo que ter ódio do meu ex-namorado porque o olho dele no meu processinho fez o troço parar, simplesmente parar, há mais de 2 meses parado na p. da vara do trabalho de São Léo, só pode ser urucubaca daquele desgraçado-recalcado-despeitado-demente! E esse cretino, ainda por cima, teve a cara-de-pau de me oferecer cerveja no aniversário do meu afilhado, depois de eu ter cumprimentado toda a família dele, sem sequer olhar na cara feia dele, ele ainda se fez de 'educadinho', mesmo eu tendo toda vida dito que achava o cúmulo servirem cerveja em aniversário de criança... criatura nojenta! Virou parede, como diz a Dani. Deletei da minha vida para todo o sempre e a partir de agora não será, sequer, ex. Simplesmente deixou de existir, não conheço, não sei quem é. Ju, como eu já disse: ex bom, é ex morto. Me sinto bem melhor agora que 'o matei' da minha vida.

E isso de não ter um cabelereiro bonzinho que me adote está me deprimindo, deprimindo, deprimindo... resolvi seguir o conselho da dona Faxina e vou marcar hora com o tal 'Elison'. Adri, vou desistir da dona Michi, porque, ô moça difícil!

quarta-feira, 18 de julho de 2007

Projeto


Para um novo template (acho que vou mudar o nome do outro blog). Alguma opinião?

terça-feira, 10 de julho de 2007

I just can't stand it!


Já por acaso falei aqui o quanto eu detesto inverno?? E essa chuva interminável nessa cidade??? E esse vento que assobia e entra por frestas invisíveis desse meu apartamento??? AAAAAHHHHHHH!!! Que lixo esse clima! Destesto!!! Dias cinzas e molhados!!! Não adianta ouvir música o dia todo, porque o dia termina cedo, logo está escuro e eu ainda tenho que ficar trabalhando, quando a única vontade que eu tenho é de ir pra minha cama, hibernar e só voltar quando a temperatura estiver agradável e o sol brilhando de novo... Ninguém merece esse climinha... sei lá, alguém deve merecer, não eu!! Vontade de me mudar pro nordeste!!! Porque essa história de morar na praia em Floripa não me atrai, já que lá costuma ser mais frio que aqui no inverno. Não, nada de frio, quero sol, calor!

Que saco, que frio, que tudooooo de ruim!

Fora isso, detesto gente estúpida, me dá vontade de dar na cara... hoje eu acordei meio totalitária, como naquela comunidade do orkut. Me dá uma arma que eu vou fazer uma limpa na sociedade!!!!!!!!!!

Tá, tô brincando! Confio na justiça divina! Espero que Deus ouça as minhas preces (e sei que ele escuta, às vezes, porque eu me divirto com certas coisas).

E uma dica bem legal, o site do Hagah tem um serviço em que tu usas o computador para fazer ligações telefônicas de graça para alguns estabelecimentos. Aqui o link para cabelereiros! (Eu vou achar, sei que vou, um cabelereiro bom, que queira me adotar...)

sábado, 7 de julho de 2007

Fotos, fotos!!!


Umas fotinhos novas no Deviantart, link ao lado...
E hoje é dia de mudar os cabelos! Sim, de novo, again and again... coisa bem boa!!! A moça aqui quer o cabelo da moça da foto acima. A cor não sei se vai ficar parecida, vou tacar o Hawai+Sândalo da Alfaparf de novo, que eu amei a mistura. Mas espero que o corte fique igual. Torçam por mim!!!