domingo, 25 de novembro de 2007

Gimme a chance to hold on (de novo)...

E esse miau parece a Lili...




Esse tempo tá xexelento, não está? Semana inteira meio ensolarada, quente... findi nublado, chuvoso, friaca do cão. Que saco!




Não bastasse isso, sono! Queria ir pra casa dormir! Mas não posso. Trabalho, trabalho, trabalho! Então a Dani Borboleta me tirou no amigo secreto e eu achei que tinha sido a mãe dela, mas na verdade foi o pai dela que mandou o presente, o livro "About a Boy" do Nick Hornby. Mais um pra minha pilha. Mas tô no finalzinho do "Enigmas da Culpa" e devo passar ao "O Passado" em breve.




Cabelo novo! Em breve, fotos. Ao contrário de umas e outras, eu mudo mesmo, não fico mentindo pra bancar a gostosa descolada.




Fora isso, só encheção de saco. Dá vontade de mandar todo mundo à merda. Agora tá preocupada. Antes tanto fazia. Sempre eu tenho que resolver tudo e ser diplomática. Vontade que dá de dizer que se peguem como cães famintos e morram!




Desculpem o desabafo, mas é verdade. Quando é no dos outros, sempre é refresco, né?

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Clap your hands and say yeah!





Hoje estou para assuntos aleatórios. Pouco sono a mente não concentra em nada. Total dispersão. Vinha eu pensando num post super interessante quando ia para a praça, encontrar a Dani. O post vôou com a borboleta esfumaçada...
Carol escreveu algo que eu preciso comentar: "Quer saber, não me importa mais. Se as pessoas querem o pior, a feiura, a gordura, a burrice, a artificialidade, a falta de carater, o problema não é meu, não mesmo. E eu me lembro de uma música: hello little boys, little toys!!"
Eu saindo do trabalho, eu caminhando pelo meio da praça da alfândega, eu achando que estava cercada de alienígenas... gente do céu, cada criatura que a gente vê nesse centro. Algo me dizendo que eu não pertenço a este lugar, que meu corpo e minha alma vivem em outro lugar e isso é só um holograma que cruzou alguma espécie de portal para uma dimensão paralela, suja e feia. Quinta-feira estranha essa. Cansaço.
Voltando à frase da Carol, porquê, porquê?? As pessoas insistem, escolhem, desejam, ser feias, ser gordas, ser más, ser toscas e tudo de ruim. Escolhem, fazem porque querem. Eu queria um mundo bonito, de linhas limpas e claras, design arrojado, prático e funcional. No entanto o caos é o que atrai. A sujeira e a feiúra. Cada qual enfiado no seu buraco, escuro, úmido, mas protegido. Um lugar onde cada pessoa tosca desse mundo pode ser o centro de seu próprio universo.
Egocentrismo, conversamos eu e a Dani. Egocentrismo deve ter tudo a ver com esquizofrenia, eu acho... deixa pra lá.
Meu perfume deve chegar em no máximo 3 dias!! Yay!!! Eu estou apaixonada por ele, é muito bom! E no site da Sacks tinha frete grátis, maravilha!
E que merda é essa de 'ele é gay, mas não falamos a respeito'???
Tô dizendo, tô dizendo, as pessoas querem ser toscas.

sábado, 17 de novembro de 2007

5


Acabei de me dar conta de que tenho 5 blogs. Tem este, e tem o Novos Ares, que tem senha, e tem mais 3, acho que para testes de templates. Na boa, nem lembro mais. Tô precisando colocar em prática um feng shui virtual. Vi um livro: Arrume sua bagunça com Feng Shui. É bem disso que ando precisando.

Nossa camona nova chegou. Com os travesseiros de viscoelástico. Maravilha, maravilha, já dormimos um pouquinho à tarde para estreiar! Delícia de cama nova. Com espaço para nós 3!!! Eu, ele e a Lili. É uma box intermediária entre o queen size e o king size, tem 1,93 x 1,78.

Compramos e já montamos a nossa árvore de natal. Momento lindo!! Hehehe!! Nossa primeira árvore de natal, nossa, minha, dele e da Olívia. Olívia ficou curiosíssima, mas não chegou perto, com medo das luzinhas piscantes.

Então passei o Richesse marrom mel nos cabelos. Eu gostei. Escureceu um pouco, mas no geral, manteve a cor que já estava (no caso, Hawaii, da Alfaparf). Tem uns tons tão lindos!! E dá um super brilho, é um tonalizante profissional da L'Oreal. Para dar um brilho nos cabelos, mesmo pra quem pinta, dá pra usar de vez em quando, vale a pena. Acho que agora só vou usar esta linha. É difícil resistir à tentação de mudar de tom, mas vamos ver. Agora só vou pintar de novo no final de dezembro. Talvez faça umas mechas e jogue um 'milkshake' por cima. Uma das possibilidades dessa linha Richesse, absolutamente lindas as opções.

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Christmas' all around us...


O Natal está no ar... aproveitamos o feriadinho pra ir dar uma volta no shopping para ver se dávamos sorte e pegávamos algumas lojas abertas. Esse ano vou comprar uma árvore de natal. Vou ter uma conversinha muito séria com a Olívia, porque não quero nem saber da gatinha achando que os enfeites da árvore são brinquedos.

Não havia muitas lojas abertas, então arrastei o amado pra Cultura e não resisti: me dei meu próprio presente de Natal adiantado, o livro de fotos Marilyn Monroe - O Mito, com o último ensaio fotográfico dessa diva. Com essa foto aí de cima na capa, lindíssimo.

E dei de presente pro amor o 'Rodolfo', o novo cd do Fito Paez, que ele ama. Dani, depois eu faço uma cópia pra ti.

No findi vou ver se compro a árvore e os poucos presentes que me programei pra comprar. Fora isso, cartões de natal para mandar pelo correio aos amigos. E, de novo, um presente para ser enviado pelo Papai Noel dos correios, como fizemos lá no escritório no ano passado e eu já tinha feito no ano anterior. Quando a gente tem, sempre deve dividir e agradecer. E eu sei que as coisas só tendem a melhorar pra mim e pro meu amado, por via de conseqüência. 2008 vai ser um ótimo ano, apesar de ser ano do Rato.

domingo, 11 de novembro de 2007

Profumo di Donna


Perfumes: sou louca por eles! E, para dizer a verdade, por quase todos da Calvin Klein. Uma paixão que começou no Ck One (ainda uso) e agora está no Euphoria Blossom (porque o Euphoria mesmo eu não gostei). Então eu tenho e uso: Ck One, Eternity (mas este, que é o o meu preferido, já está só no sopro, mimimi), Truth e Contradiction. Quero ver se alguém vai pra Rivera e compra pra mim mais um Eternity e o Euphoria Blossom. Outros que eu gostei, dos novos da Calvin Klein, foram Obsession night e Ck Crave. Nossa, o Crave é absurdamente bom, é cítrico, delicioso!
Meu amado quis me fazer uma surpresa de aniversário e se deu mal: pediu pra um amigo que ia para Rivera trazer o Eternity (porque ele também ama o perfume, em mim, claro) e o amigo trouxe o masculino. Bom, meu sogro é que se deu bem, ganhou um perfume ótimo. Meu amado não gostou muito.

Fora Calvin Klein, eu uso também o Glamourous da Ralph Loren, que é maravilhoso, e também está no sopro. Comprei ele em Montevideo e agora não acho em lugar nenhum! Acho que tiraram de linha, o que é uma pena porque esse perfume é apaixonante.

E estava usando o Natura Humor 1, que já acabou. Esse da Natura, além de ser mais barato, é levinho, bom pra todo dia. Tenho um perfume bem noite, que uso em poucas ocasiões especiais, que é o Sun Moon Stars, de Karl Lagerfeld.

Mas meu primeiro perfume do coração mesmo foi o Anaïs Anaïs, da Cacharel, que hoje eu acho terrivelmente enjoativo. E usava, claro, o Tathy d'O Boticário. Outro que eu não suporto mais.

Eu adorava o perfume da Dani: o Miracle da Lancôme, mas até ela enjôou. Me deu de presente e eu devolvi: muito doce. Perfumes com flores e outras essências doces não fazem a minha cabeça. Andei experimentando vários, para escolher um novo. Provei todos da Jennifer Lopez, só gostei de um, e os outros, como o Glow, são nojentérrimos, aquele cheiro de flores pestilento! Acabei adorando um da Dior, o Midnight Poison, maravilhoso! E o Bright Christal da Versace, além do cheiro ser delicioso, o vidro é lindo!
Vamos ver se agora no Natal eu me dou algum desses de presente, pra começar o ano novo de cheiro novo!

Para variar...




Livros, livros. Já comecei a ler "Enigmas da Culpa" e estou gostando muito. Mais uma vez, os judeus, a guerra, a culpa. Os judeus, a guerra, a culpa, em "A Menina que Roubava Livros", já emprestado para a Dani. Os judeus, a guerra, a culpa, por Moacyr Scliar, que me disse que sobre o lado jurídico da culpa ele pouco falou, por falta de conhecimento de causa, mas que ele acha interessante que os advogados pensem o lado psicólogico e humano da culpa. Larguei o "V de vingança" de lado, quadrinhos às vezes cansam, muita informação visual e tu acaba te prendendo mais nas ilustrações de que na história.
Tem "O Passado" na gaveta me aguardando. Nem vi onde o filme está passando. E essa noite sonhei com o Gael (ele é lindo, né?).
Sugestões de leitura? Tem algumas no meu multiply, como "O Homem Duplicado", que ganhei de meu amigo Tuga, lá em 2005. Tava dando uma olhada lá, e foi um dos melhores dos últimos dois anos, do lado do Peixoto (Dani, me devolve o Cemitério de Pianos!, senão vou esquecer).
Eu tinha que tomar vergonha na cara e ler mais livros jurídicos, eu sei. A gente tem que se atualizar, sempre. Já decidi que ano que vem vou fazer pós. Tenho só que me definir, ainda estou em dúvida entre direito processual civil e direito constitucional. Meu projeto de fazer mestrado em Letras continua de lado, acho que vai ficar de lado por um bom tempo... assim como o mestrado em filosofia (pelo menos a idéia de trabalhar com Hume ficou mais firme, graças ao tempo em que fiquei pesquisando, só falta definir o caminho a seguir, a idéia central já tenho). Bem geminiana, né? Querendo várias coisas ao mesmo tempo. Pior que eu vi no site da UFRGS que estão abertas as inscrições para o mestrado em Letras para o ano que vem, mas sem condições. Na UFRGS tu entra no mestrado praticamente com o projeto de dissertação pronto, eu senti isso quando fiz a seleção pro mestrado em filosofia. Os selecionados foram aqueles que já tinham meio caminho andando, eu e meu super amigo K-du, com milhares de idéias na cabeça e nada definido não tínhamos muita chance. Duas amigas minhas, uma mestranda e a outra doutoranda em Letras, me sugeriram tentar a PUC. Eu me formei lá, mas tenho ranço, sei lá. O mestrado em direito vai ser feito na UFRGS, com toda certeza. Não vou nem me dignar a ver nada na PUC. Mas isso são planos pro ano que vem. Esse ano eu ainda preciso de mais um pouquinho de férias.
O médico disse que minha tontura podia ser coluna, e fez todo sentido, já que na volta da viagem eu vim super tensa, por causa da baita turbulência que pegamos. E como dali dois dias nós íamos pegar um avião de novo, eu não consegui relaxar. Agora passou a tontura, e eu fiz massagem na sexta, já me ajudou, tava morrendo de dor nas costas. Acho que tô precisando fazer reiki de novo, adorei a minha primeira sessão.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Últimas da feira

A feira do livro hoje estava para lá de especial. Primeiro dia que eu consigo fazer algo além de dar "uma passadinha". Teve David Coimbra virando o pescoço pra me ver passar (me senti a própria garota de ipanema), eu podia ter dado um sorrisinho, mas passei séria. Comprei O Passado (mas vou acabar vendo o filme antes de ler o livro) e O Enigma da Culpa, este último do Moacyr Scliar. Ele me fez uma linda dedicatória. Perguntou se eu estava estudando. E eu disse que já era formada há tempos. Então ele disse: sério? Mas em que? Eu disse: sou advogada. E ele fez um "ah" suspirado e disse que médicos e advogados hoje em dia se formam cada vez mais jovens. Uma simpatia.
Teve também Rubens Edwald Filho, super simpático. E o vocalista da Cachorro Grande em momento super pai, uma cena muito meiga.
Amanhã, tem bazar na Pó de Estrela!!!! Convido todo mundo a aparecer, aquele lugar é muuuuito legal, e os bazares são show. No início do ano eu fui e comprei 2 vestidos lindos da Rufina, que agora vende na Saia (lá na Garibaldi). No último, comprei uma bolsa linda. Aliás, eu e a Carol. Eu comprei uma verde, ela uma azul. Fora que lá na Pó tem as coisinhas lindas que a Laura faz para vender. Para quem ainda não conhece, fica na Alberto Torres, pertinho da José do Patrocínio, ali na Cidade Baixa.
Ontem eu e a Tici fomos lá conferir o desfile da Espaço Boho, uma loja de roupas super legal que funciona no 2º andar da Pó. Tava ótimo. Depois saimos pelas lojinhas de roupas da Cidade Baixa, procurando coisas legais. A Tici comprou dois cintos, eu tô me guardando pro Bazar amanhã, vamos ver, tomara que eu ache algo bem legal.
Pro amigo Dr. Madureira me responder: amigo, o que a gente faz quando tem que dar um tiro no pé? Alguém fez uma merda e você tentou corrigir e quando viu está com uma arma na mão e o único alvo é seu próprio pé? Eu nem devia ficar p. assim, mas fico. Os clientes nem vão saber que eu fiquei p., mas eu fico p. Não quero juntar os documentos e até passou o prazo. Juntar esses documentos é dar um tiro no pé e eu fico tentando criar alguma argumentação para juntar com eles, mas não me ocorre nada. Maldita rescisória!!!

quarta-feira, 7 de novembro de 2007

#201


Mais sonhos. Noites de vigília. Mal vejo a hora da minha cama nova chegar. A nossa caminha não comporta pai, mãe e Olívia. A gatinha anda muito espaçosa, e adora se espalhar por cima de mim, claro. Sonhei com uma pessoa não muito grata. Que ela ia dar um jantar em sua casa. E eu acabava entrando lá. Já havia sonhado com o apartamento dela mais de uma vez. Ele é sempre o mesmo, um lugar enorme, que tem uma vasta área não utilizada. É como se dentro do apartamento existisse outro. Uma parte cheia de arcos e uma decoração super exótica. O interessante é que essa parte nunca é utilizada nos sonhos que eu tive. Tenho certeza de que o lugar real é bem menor. Na verdade, o apartamento em que as pessoas circulam no sonho, é pequeno. Então eu entrava lá e a pessoa me encontrava.

- O que tu estás fazendo aqui?

- É melhor fazer a paz do que a guerra, não achas?

- É, tens razão.

- Precisa de ajuda?

E eu ia para a cozinha ajudar a preparar o jantar. E pessoas começavam a chegar, algumas conhecidas minhas. E para todas eu dizia isso: é melhor fazer a paz do que a guerra. Depois o sonho virou outra coisa, e eu tava tomando banho num chuveiro público em algum lugar do nordeste. E depois eu ficava tirando onda do meu colega de trabalho que não queria tirar nem a camisa para tomar banho no tal chuveiro.E tinha chuva, galinhas, coisas vermelhas (taças, pratos, vestidos), chocolate, sol, dia e noite no meu sonho. Será que o amigo Madureira interpreta esse? ;)

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Two hundred

Outro sonho interessante. Dessa vez sem duendes e bruxas. Eu ia numa autoescola fazer a tal provinha para renovar minha carteira de motorista e encontrava lá uma xará, de nome e sobrenome. Estou com isso na cabeça: minha carteira de motorista venceu há mais de mês, preciso renová-la. Não importa que eu não tenho carro (no momento). Nunca se sabe quando se vai precisar da carteira, né?
Mudando de assunto. Otorrino hoje. A tontura passou depois de duas semanas, mas os ouvidos continuam entupidos. O médico fez uma limpeza neles e tirou uma bola de cera que me deu horror!! Nojo. Me proibiu de usar cotonetes, que eu raramente uso. Nunca! - disse ele. Mas a limpeza não resolveu muito a sensação de entupimento e terei que fazer uma audiometria.
Otorrino pro amore, também. Ele com uma infecção no nariz e necessidade de operar o septo nasal o quanto antes. É uma cirurgia simples, mas eu morro de medo dessas coisas. Mas confio muito no médico, ele era meu vizinho quando ainda tava na faculdade e é um querido.
Ainda faltam uns 2 capítulos para terminar a "Menina que Roubava Livros" e eu já peguei o comic "V de Vingança" pra ler. Ganhei de presente do amado e já cheguei na metade.
Dei dois pulinhos na Feira do Livro, ontem e hoje, com minha lista da Cultura, para comparar preços e cheguei à conclusão de que é mais barato comprar pela internet. Vários sites com promoções e frete grátis. Brabo é escolher dentre os vários que coloquei na minha lista de desejos (já está em quase 3 mil reais no total, alguém tem pra me dar??).
Acho que vou comprar alguns desses 'best-sellers', como o "Infiel", já que agora estão em promoção. Quero o novo do Alain de Botton, também. E mais umas maluquices.
E esse é o duzentésimo post desse blog.

segunda-feira, 5 de novembro de 2007

Silent Hill


Tive um sonho deveras interessante. Eu não lembro dele todo, mas já há duas noites que tenho sonhos malucos inspirados nesse filmeco chamado 'Silent Hill'. O primeiro foi meio de terror, mas o dessa noite foi muito intrigante e colorido. Sei que uma criaturinha pequena, quase um duende, com cabelos bem vermelhos, vinha a mim como uma criança e me abraçava, me pedindo perdão. Eu dizia que a culpa não era da pequena criatura, e ficava aliviada porque ela tinha vindo até mim, e não até uma bruxa que tinha cabelos super compridos. Eu dizia para o pequeno ser que ele deveria ter cuidado, pois andava com seres muito maléficos sem ter idéia do tamanho do mal que aquelas pessoas queriam lhe fazer. Eu tinha quase que um dossiê sobre essas pessoas maléficas (que não são de sonho, não. São very real), e mostrava tudo para a pequena, que ficava chocada. Então ela também me mostrava fotos e me contava sobre coisas que tinham acontecido e tudo se encaixava. Mas nesse meio tempo a bruxa fazia caras de top model internacional e tentava nos atrair. É engraçado porque eu nunca tinha pensado nessa pessoa que era a bruxa do sonho como uma pessoa má, eu sempre achei que ela era legal e meio sem noção. No sonho ela tinha um olhar horrível, de muita maldade mesmo. Estávamos numa espécie de parque, onde havia chafarizes e muitas flores. Era um lugar muito bonito e agradável. Não lembro como o sonho terminava, mas lembro de dizer várias vezes para o duende de cabelos vermelhos que ele tivesse cuidado com pessoas que tentavam enganá-lo, que criavam inimigos inexistentes, enquanto os verdadeiros inimigos eram elas, que rodeavam a pequenina. Enfim, uma viagem, mas que pra mim faz algum sentido.


Coisas boas do mês de novembro: minha Elle chegou, recheadinha, Reese Witherspoon na capa (a revista de outubro não veio, acho que alguém 'passou a mão' nela, mas ganhei um mês a mais na assinatura). Logo, logo chega a nossa cama nova. Compramos uma PUTA duma cama, enorme, travesseiros de viscoelastico e lençóis novos, claro, para caber na cama. Uma cama-box americana de molas, maravilhosa (é tão grande que ficamos com medo de não caber no quarto)! Tem feriado. E coisas boas no trabalho.


Dia de retornar ao trabalho, dia de cair na real: banco, pagar aluguel, filas, 'burrocracia', atender clientes no telefone. Mas dei de cara com a Dani Faxina no banco, um sarro! As duas loucas por pintar cabelos.

domingo, 4 de novembro de 2007

King of the Congo


Oh, Lord. Amanhã, tudo de novo.

sábado, 3 de novembro de 2007

Tim Festival

O que dizer? A Björk é linda! O show tava tudo de bom! Maravilhoso!!! Meu amado filmou um pouquinho:

video

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Busted!


É, parece que já me pegaram de novo. Ó vida!