quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Todos iguais, mas uns mais iguais que os outros...


Eu sempre a mesma. Continuo sem usar um pingo de maquiagem no dia-a-dia. Continuo mudando meu cabelo de dois em dois meses. Continuo chorona. Continuo dando murro em ponta de faca. Continuo surpreendendo as pessoas dizendo as coisas na lata. Eu acho uma idiotice isso de "essência". Não é essência, é consistência: a gente é o que é, desde sempre. Vejo poucas pessoas que realmente mudaram, tanto fisicamente, como de personalidade. Mudar seria essencialmente bom, pelo menos eu acho. Mudar, mudar tudo. De endereço, de apelido (já que mudar de nome é mais difícil e eu gosto do meu nome), de cabelo, de corpo, de tudo!


Nessa vida, queria reencontrar apenas duas pessoas que dela sairam. Apenas duas. Todo o resto de pessoas que sairam da minha vida, com as quais eu não mantenho mais contato, mesmo que esporádico, podem ir pro inferno. Não quero ver nunca mais. Não é ódio, nem revolta, nem nada, simplesmente não fizeram, nem fazem falta. Mas existem duas que quero reencontrar. Uma delas, gostaria de reatar a convivência de outrora, que me era tão boa... saudades... always MPH.

7 comentários:

Dani disse...

Eu acho que concordo contigo. Não me vem nenhuma pessoa na cabeça, com a qual, eu não mantenho contato que eu gostaria de reatar.

Vica disse...

Aliás, tem pessoas que ainda estõa mais ou menos no meu convívio e logo não estarão mais, assim que eu resolver umas pendências. Agora tô assim: se não me serve, não quero mais.

madureira disse...

minha essência engordou 12 quilos e ficou sem os cabelinhos.

madureira disse...

e eu queria ver muita gente, se essa muita gente tivesse caminhado pela vida como eu caminhei.

Mônica disse...

eu tenho muitas pessoas que eu gostaria q voltassem pra minha.

e não acredito que as pessoas mudam de personalidade. acho que um dias elas revelam a verdeira. bj

Ni - Ana Eliza disse...

me identifiquei completamente com esse post, Vica! Muito bom!
beijocas queri!

Diego R. Canabarro disse...

eu, sinceramente, acho que não se pode fazer oposição entre essência e consistência. Tem vezes que é preciso ser consistente mesmo contra a própria essência. Mas não ouso desenvolver isso aqui nos comentários... isso dá um texto bom.
beijo, seja lá quem for a senhora que comentou no meu blog! :)