quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

I see you baby, shaking that big fat ass...


Fui almoçar no Mac hoje com uma colega vegetariana (de araque). Ambas pedimos aquele Chicken Gourmet que eu não consigo comer inteiro. Vi tanta gente gorda (mas realmente gorda) e feia e tosca naquele lugar que decidi não comer mais lá. Primeiro porque a comida mal serve pra alimentar e é cara, e segundo porque a gente é mal atendido e tem que dividir o (pouco) espaço com toda aquela gente gorda e mal educada. Hoje tava demais o negócio.

Agora quando eu tiver que almoçar no centro, vou comer sempre no vegetariano, que tem uma comida leve, nutritiva e ótima. Preciso mesmo me alimentar melhor. Cheetos requeijão não é janta, né?

Tive um pesadelo essa noite. Esse eu vou chamar mesmo de pesadelo. Eu estava num apartamento vazio, que tinhas sacadas e eu fui pulando de uma para a outra, e tinha umas camas dispostas como um sofá de canto, com lençóis brancos. Eu tinha a impressão de já ter estado ali, mas lembrava que aquelas camas não tinham lençóis brancos. Achei muito estranho. Sei que fui pulando de uma sacada para a outra, para um lugar mais alto. Então eu estava numa parte muito alta, num piso de parquet, e não tinha como pular de volta, era mesmo muito alto e eu fiquei apavorada, porque eu morro de medo de altura. Daí vi que tinha uma menina sentada num sofá, para o lado de fora da sacada, como se estivesse pendurada no ar. Uma menina que lembrava a Sarama, de O Chamado, mas de cabelos curtos, sem cabelos na cara, mas cabelos pretos e uma pele muito pálida e umas feridas no rosto e ela só dizia: 'foi um massacre, uma matança, tanto sangue' e parecia em choque. Eu vi que o sofá onde ela estava sentada estava em cima de uma pilha de poltronas e sofás de uma sacada abaixo. Eu tentei falar com ela, mas ela só repetia: 'um massacre, uma matança'. Então peguei ela no colo, e ela era super leve e me joguei para a sacada de baixo.

Nós caímos num apartamento cheio de bandidos armados, que quando nos viram vieram com as armas nas mãos dizendo que iam fazer horrores conosco e depois nos matar. Eu saí correndo pelo apartamento deles, que era enorme, totalmente em pânico, com a menina no colo, e achei uma sala, tinha uma mulher muito linda varrendo e eu atirei ela pra fora e chaveei a porta. Mas fiquei totalmente apavorada: estava sem saída, os bandidos iam entrar e me matar e aquela menina que eu tinha carregado comigo era um cadáver. Foi muito ruim, eu acordei nessa parte e levei um tempão pra me acalmar (interpreta esse, Nelsinho, quero ver!).

O dia de hoje foi meio estressante, problemas com o computador no trabalho e muitos clientes pra atender. E eu muito dispersiva. E mal alimentada.

5 comentários:

Dani disse...

HAHAHAHA
GENTE FEIA E GORDA? SEM PRECONCEITOS À NADA..MAIS FEIA ATÉ É PIOR. HAHAHAHAHA.
NÃO COMO MAC LANCHES E AFINS NEM QUE ME MATEM. ASSISTE NAÇÃO FAST FOOD...
HAHAHA
JÁ SALVEI 3 ALMAS DOS FAST FOODS DO DIABO...

madureira disse...

interpretação pós descoberta do embuste: foi curpa do ronald.

madureira disse...

te lembras do estrago que o restaurante chinês te causou, né?

Anna Vitoria disse...

ah cara, mesmo sabendo que mc faz um mal danado pra saúde eu continuo comendo lá, ainda bem que minha mãe não deixa eu ir com frequência, por sorte nunca tive a chance de ter que dividir o espaço com gente feia e mal educada, e sempre fui muito bem atendida (:
beijos!
http://so-contagious.zip.net

Vica disse...

Ih, Dani, me chama de preconceituosa, mesmo. Mas tava braba a coisa lá. Nelson, do que tu tá falando?