quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008

Magia negra!


Findi fomos no Caminito, um barzinho muito legal da Padre Chagas. Tem uns sanduíches bons, bolinho de queijo (amo!) melhor ainda, e uma cerveja, a Abadessa, maravilhosa. Tão boa, na verdade, que a gente tomou porque o marido fez questão (detalhe: ele detesta cerveja). Tinha um "mago" por lá, tirando as cartas do Tarot em troca de "contribuições espontâneas". Claro que eu e a Dani tivemos que ir espiar a nossa sorte (ou azar) nas cartas.

O "mago" era muito engraçado. Uma roupa estranha, uns colares, uns símbolos esotéricos, lápis preto no olho e uma cara de doido. Muito simpático. Eu fui primeiro, porque a Dani me empurrou: vai, vai tu!

Sentei, ele pegou as minhas mãos, depois colocou as cartas e tal, e me disse enfático: 'esse ano tu vai ganhar dinheiro! Esse é um ano de ganhos materiais pra ti, vão valorizar mais teu trabalho, blá, blá, blá'. Bom, nem preciso dizer que fiquei felicíssima com isso. Era só o que eu queria ouvir. Mas daí ele perguntou o que mais eu queria saber. Eu disse que nada. A Dani fazendo umas caretas do meu lado e virando a cara, grudada no celular... eu disse de novo: 'nada, só isso tá bom'. Ele disse: 'mas do amor! Não queres saber nada do amor?' E eu: 'não, tá tudo muito bom, é só o que eu preciso saber'. Ele perguntou se eu era solteira, falei que era casada. 'Casada??? Ah, mas vamos tirar o amor, vamos ver se esse teu casamento é sólido, se não tem nenhuma traição' e foi tirando as cartas. Daí disse que meu marido me amava muito e que esse ano eu ia engravidar (isso depois de perguntar há quanto tempo eu estava casada e de eu responder que ia fazer um ano).

E eu olhei horrorizada e disse: 'não, gravidez não, nem pensar!' e ele: 'ah, meu amor, quando os anjinhos querem baixar, eles baixam, mas porquê tu não quer engravidar?' (Ah, me poupe, né?? Por motivos óbvios como querer gastar o meu dinheiro, que eu recém comecei a ganhar, comigo mesma e viajar e fazer outras coisas e não ter essa responsabilidade...)

Daí eu disse de novo que a leitura tava ótima, mas ele insistiu pra tirar mais, daí eu disse que queria saber da minha mãe e ele falou umas baboseiras...

Aí a Dani desistiu do cara tirar as cartas pra ela, alegando que tinha "medo" de saber o futuro. Voltamos pra nossa mesa onde meu marido e nosso dindo davam risadas das mensagens de texto no celular que a Dani mandou enquanto eu ouvia charlatices... mas foi divertido. Descobri que a Dani tem um talento nato para ser charlatona, também! A imitação que ela fez do "mago" rendeu muitas risadas. De qualquer forma, eu espero que a primeira coisa que ele falou (quanto a ganhar dinheiro e ser mais valorizada no trabalho) se concretize... yo no creo en las brujas, pero...

9 comentários:

Skinny Vegan disse...

Tipo: eu estou sem comer pra perder 5 kilos. É que 3 já se foram (sim, eu atualizo minhas informações pessoais todos os dias), agora só faltam dois.

=]

Daniela! disse...

Bah, que bizarro esse mago!

E sobre o filme do Lucio, eu o tenho em DVD, acho difícil entrar em circuito comenrcial por aqui, por ser um documentário.

Se quiser faço uma cópia pra ti!

Beijos

Dani disse...

Ah, amiga. Obrigada! Meus momentos de comediante são raros, mas acontecem. hehehe
Beijos

Dani disse...

Engraçado tb foi nós cantando a música do Fiat Punto no carro. Nós, no banco de trás, cantando a original e os guris cantando a mesma música com a letra do RPM. Hilário!!!

madureira disse...

úia, gaúchas com "carro de paulista"
*
e agora, em qual versão sobre a não-leitura de mão eu devo acreditar??
*
promete que um dia cantaremos num carro, todo mundo, irmanados?

Vica disse...

Sim, amigo Madureira, cantaremos todo mundo dentro de um carro: toquem o meu coração, façam a revolução!!!!!

Ni - Ana Eliza disse...

Oi menina, passei pra desejar bom final de semana!
beijocas

H disse...

oi, vica. você conseguiu achar/ler o livro 'Nós'?

estou com ele em mãos, tô muito ansioso pra começar..

xD

Vanessa disse...

Obrigado pelo comentário!
Não preciso mais de terapia, pois ganhei um presente de Deus!
TA são transtornos alimentares. Não te julgo por me mandares comer e fazer terapia. Tenho transtornos desde os 13 anos. E nunca me faltou força de vontade pra mudar. Acredito que agora tudo vá se encaminhar.
Mas, afinal, que atire a primeira pedra quem não tem nenhum defeito, ou têm medo e vergonha de assumi-los.
Beijos!
Sorte!