terça-feira, 22 de maio de 2007

Sinceridade


Eu detesto essas pessoas que sob o argumento de serem 'sinceras' acabam por ser estúpidas. Pra mim, sinceridade é admitir quando se está errado, quando o problema é com você. É saber abrir o coração a quem mereça e admitir os próprios erros.

Admirei muito uma amiga que me admitiu: "se eu não puder ter filhos, não vou adotar. Não sei se seria capaz de amar uma criança adotada como essas pessoas que adotam amam". Ou seja, não veio com teorias sobre cargas emocionais negativas que crianças adotivas podem ter. Simplesmente confessou que o problema é com ela. No mais das vezes, as pessoas são muito preconceituosas e vêm com esse papo de sinceridade para justificar opiniões que não se baseiam em nenhum dado ou fato concreto.

Não estou dizendo que dizer isso é estúpido. Apenas usei um exemplo do que eu considero sinceridade. Tem gente que acha que dizer pra você, depois que você pergunta: gostou da minha roupa? - achei horrível!, é ser sincero, quando, pra mim, isso é simplesmente ser estúpido e grosseiro.

A convivência exige uma certa dose de diplomacia, e diplomacia não consiste em mentir, mas simplesmente não emitir todas as opiniões que desejamos. E às vezes, uma mentirinha, é bem melhor que uma suposta 'verdade' (muitas vezes algo só é verdadeiro para você, e não para os outros, especialmente quando se trata de questões pessoais).

O meu exemplo ficou meio deslocado, talvez, mas me fez muito sentido. Ser sincero é, também, admitir o próprio preconceito.

(Acho que esse post continua...)

9 comentários:

Dani F. disse...

Vicaaa onde eu assino embaixo?
Sinceridade não pode ser trocada ou substituida simplesmente por mera grosseria...
Beijos...
Bjork? lá emcima brincando?
Adorei
beijos

Marcelino, Pane i Vino disse...

Isso foi tema do vestibular: o que você prefere a ilusão que reconforta ou a verdade que no empurra pr frente. Claro, não deve ser bem assim. Na verdade, acho que sinceridade é algo que varia de pessoa pra pessoa, e o melhor é ter um termômetro pra saber o que falar e pra quem falar algumas coisas. Isso é um dom, que muitas pessoas não tem!!!
Beijos.

~*Vica*~ disse...

Eu prefiro os dois: a ilusão que reconforta e a verdade que empurra. Mas como tu disse, Marcelo, há momentos. E a maioria das pessoas, realmente, não tem o dom. Dani, não é a Björk, mas é parecida, né?? Beijos aos dois!

Dani disse...

Tb achei a cara da Björk!!! Amei o template. Gosto de bolhas de sabão! Sempre me lembra alegria, leveza.

Sobre o post...
Comentamos mto sobre ele ontem, mas quero deixar meu registro. Acho que pra tudo tem um meio termo. Existe um meio-termo tb entre a ilusão que reconforta e a verdade que empurra pra frente. Tudo depende da maneira como se diz as coisas. Reconhecer o momento, procurar as melhores palavras...
A pior verdade pode ser dita de forma que vá magoar menos ou que até não magoe a pessoa.
Eu prefiro sempre a verdade!

Simone disse...

Eu gosto sempre da verdade, só que existem maneiras legais de dizê-la. O mais legal é que, dependendo do pessoa que te diz a verdade (aquela que não sabe ser grosseira) só te empurra para cima. Infelizmente, existem outros que não sabem dizer a verdade (aqueles que pelo jeito não se importam de verdade conosco) sem te deixar com vontade de chorar num cantinho...

Dani F. disse...

Valeu vicaaaa! Apareça na minah outra casinha virtual...
é bom escrever sem ter compromisso de ser Dona Faxina entendes?
Que cor é essa que tu disse? Hawaii??hahahaha que diabos é isso?
beijos e bom findi

madureira disse...

OFF: como é o nome daquela menina do mal? besos

~*Vica*~ disse...

Madureira, me manda mail sobre isso, não sei se eu sei sobre quem tu tá falando. Beijos.

~*Vica*~ disse...

Dani F, é um castanho acobreado lindo!! Hawaii!! Até o nome é lindo. É da Alfaparf. Beijos.