terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Got a problem? I ain't got a solution.


Conversando com dois amigos durante a tarde no Gtalk, entre um prazo e outro, sobre problemas, deles, meus, nossos(?), eu pensei que, muitas vezes, a gente não fica tão desolado em função dos próprios problemas, por não sabermos como resolvê-los ou por acharmos que as soluções que se apresentam não são as melhores, mas simplesmente porque não queremos resolvê-los. Tem horas que a gente queria ser criança de novo, pra nossa mãe vir e deixar tudo ótimo como estava antes do brinquedo quebrar, do joelho ralar, do cachorro latir, do amiguinho nos mostrar a língua... e isso é o que causa o desalento. Na maior parte das vezes, ainda que tanto os problemas, como as soluções sejam difíceis, nós sabemos o que fazer. Apenas relutamos. Esperando que alguém solucione pela gente.
A verdade é que depois que a gente aceita que isso não vai acontecer, arregaça as mangas e começa a trabalhar pela solução do problema, tudo melhora, vem o alívio (a real felicidade, na opinião de um desses amigos) e a gente relaxa um pouco. Mas enquanto a gente não faz isso, a gente sofre, se tortura, chora, briga, grita, fica jururu, tem chilique, toma café demais, come demais...
Essa semana a urucubaca tá pegando geral... tô aqui com meu cactus, meu spray de arruda, vou levar uns incensos pro escri, porque Deusolivri! Amigas queridas fazendo operações, outros amigos doentes, com problemas, affe. Mas vai passar, há de passar.

2 comentários:

Dani disse...

Ah, eu queria alguém pra resolver os problemas por mim... nem precisava resolver todos. hehehe

Dani disse...

AFF
DEUS ME LIVRE..E ME AJUDE A ELIMINAR ESTAS PEDRAS AQUI DENTRO DE MIM.
HAHAHAHA
TEM QUE RIR PRÁ NÃO CHORAR VICA
BEIJÃO
SORTE AÍ