segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Só por hoje...


Como nos alcóolicos anônimos: só por hoje, não beberei. Só por hoje. Só por hoje. Não vou me precipitar, vou dar crédito ao horóscopo sinistro, vou acreditar no I-Ching do Personare, vou ouvir essas músicas romantiquinhas e pensar que são apenas músicas, como tantas outras coisas são apenas tantas outras coisas e pensar que amanhã é terça e eu tenho terapia e o vigia do prédio deve me odiar cada vez mais, porque a psiqui fica comigo além do horário, porque eu sei que além de paciente sou entretenimento...
Só por hoje vou fingir que a distância espiritual é apenas física. Só por hoje vou fingir que não me importo. Só por hoje vou fingir que queria ir trabalhar amanhã. Vejam bem, não é meu trabalho, é apenas uma falta de vontade de colocar o nariz na rua. Já conseguem ver a imagem em suas mentes? Goldie Hawn em A Morte lhe Cai Bem... gorda, rodeada de gatos no apartamento minúsculo, enchendo a cara de sorvete... não, esqueça, essa não sou eu. Nem serei eu. Mas só por hoje essa posso ser eu. Só por hoje eu posso ser loira pagodeira. Só por hoje eu posso ser qualquer pessoa além de mim, além da infância, além daquilo tudo que me faz carcaça de mim mesma. Tudo aquilo que me consome e que eu não consigo arrancar. O fim foi só o começo. Todo fim é um começo vocês dirão. Mas eu acho que não. Só por hoje, só alguns. E o fato dessa música tocar tão insistentemente me diz que há um significado. Eu só não entendo. E só por hoje vou fingir que não quero entender.
(They'll see us waving from such great heights... but everything looks perfect from far away...)

Um comentário:

Taís disse...

Só por hoje uma verdade inventada, à melhor moda da grande Lispector.
Adorei seu cantinho.
Bjos