domingo, 15 de fevereiro de 2009

I heard it through the grapevine


O Leitor me faz crer que algumas coisas que eu penso condizem muito com a realidade, como algumas pessoas podem, verdadeiramente, destruir vidas alheias, num sentido muito íntimo e tão profundo que é difícil que as outras pessoas entendam, embora possam notar.
Como certas coisas em nossa juventude nos marcam para todo o sempre. E pensando em algumas cenas desse filme, me veio uma frase de outro filme na cabeça, no caso, O Curioso Caso de Benjamin Button: "We are defined by opportunities, even the ones we miss".
No embate entre Kate Winslet e Cate Blanchet, tenho lá minhas dúvidas... acho que fico com a Cate com C. Mas espero que a Meryl Streep vença. Gostaria de ver o filme dela, mas tô querendo passar longe de filmes tristes, como esse O Leitor.
Achei essa imagem nesse blog, que fez uma crítica bem interessante e, devo concordar, Kate Winslet está mais para coadjuvante. O garoto alemão, David Kross, que é uma graça, é que é o dono do filme, de verdade. E Ralph Fiennes está divino, como sempre, mas também em segundo plano.
Quero ir assistir a Poppy, quando será que estreia?


3 comentários:

G.D. disse...

PORRA.

Nao vi NADA. E nao tem nem a desculpa da falte de tempo, que por mais uns dias, ME SOBRA.

Enfim.

Mas na real, nao sei se tenho muita vontade de ver algo fora o do Mickey Rourke eis que esses com as mulheres citadas parecem TODOS o mesmo filme (triste).

Vica disse...

Não sei se parecem o mesmo filme. O Benjamin Button é muito bom, e eu não achei triste, eu achei ele bem otimista, na verdade. O Leitor é triste demais, demais. E aquele com a Meryl Streep deve ser pesado demais. Pedofilia não é um assunto que eu esteja querendo encarar, no momento.

AdriB. disse...

Tô louca pra ver esse filme!!!