terça-feira, 28 de novembro de 2006

Natalício Simplício da Silva




O Natal tá aí. Passo quase todo o dia na frente de uma vitrina d' O Boticário onde tem bem grande um cartaz que diz: faltam 28 dias para o Natal (hoje). E eu consegui comprar os cartões de Natal, mas ainda não consegui escrever neles!! Mentira, escrevi o da minha mãe. E só! E os outros que eu tenho que mandar pelo correio, inclusive para outros países, acho que não vão chegar a tempo, se as coisas continuarem assim.
Tenho que dar um jeito. Mas eu vou indo, já até comprei alguns presentes de Natal. Adoro dar presentes, até mais do que receber. Ainda tenho que ver as minhas listas. Única época do ano em que faço listas. Listas de presentes e listas de cartões. Fora isso, não faço nem listas de compras de supermercado (o que geralmente é contraproducente em termos econômico-financeiros, mas c'est ma vie).
E outra coisa que amo dessa época são os amigos secretos. Já tenho dois agendados: do escritório e da mulhegada. Quem sabe eu ainda arrume mais um, acho tão legal!



Não é muito fofo esse coelhinho Natalino? Tirei daqui. Que acharam do nome que eu dei pra ele?? Hehehehe!

3 comentários:

Ana Irene disse...

que generosa! a mi tambien me gusta hacer regalos, a veces termino sin nada de dinero.y tampoco hacemos una lista cuando vamos al supermercado con mi mama. siempre compramos cosas que no necesitamos o no planeabamos comprar. es bastante entretenido andar sin listas, sujetarse a los vaivenes de las cosas, esperar que pase cualquier cosa, algo imprevisible

Mrs. Potter disse...

Eu também adoro dar presentes. Todo ano, eu, prendada como sou, faço presentes de natal pra minha avó e minhas tias. Esse ano ainda não fiz nada!
Só a lista...
:o/

Ana Cota disse...

Hohoho directamente de Portugal:) Por aqui é Inverno (maldito Hemisfério Norte!) e faz um frio quase ultrajante, mas c'est la vie...
Todos os anos, volvido o Natal, prometo a mim mesma que para o próximo ano vou fazer as compras da época completamente fora de época (por exemplo, em Setembro) para fugir das medonhas multidões de retardatários, que, à boa maneira portuguesa, deixam tudo para a última hora, mas em vão! Promessas vãs que não passam de pura teoria. A azáfama natalícia parece mesmo uma maldição. Por mais método (quiçá nórdico) que se empregue, haverá sempre uma prenda por comprar. E logo de seguida a correria desenfreada...;)

Beijinhos e um abraço
Ana Cota