terça-feira, 13 de fevereiro de 2007

A esperança é um urubu pintado de verde

Já dizia o grande e maravilhoso Mário Quintana.
Eu ia escrever, mas não tinha muitas palavras para expressar os sentimentos confusos que eu senti. Então achei isso aqui no blog da Carla, que chupou de outro blog... é singelo e pungente, como o que eu queria dizer.

Aquele “menor”, bem maior do que o menino João, cujo corpo ele ajudou a espalhar pelas avenidas do Rio, vai ficar três anos internado. E depois será solto entre os meninos-João, por quem não se rezam missas de apelo social. Resta só a dor da família: privada, sem importância, sem-ONG, “sem ar, sem luz, sem razão”. Sobre o assassino, há de se derramar a baba redentora rousseauniana: ele nasceu bom; foram os insensíveis da classe média, à qual pertencia o menino João, que o tornaram um facínora. Simbolicamente, a culpa é de quem morre. Também notei que os jornalistas ficaram um tanto revoltados com a polícia, que obrigou os bandidos a mostrar o rosto. Não há dúvida: terrível ameaça à privacidade. Era só o que faltava: trucidar o menino João e ainda ser obrigado a expor a cara… Que país é este? Já não se pode mais nem arrastar uma criança num automóvel e permanecer no anonimato? Sabem do que morreu o menino João? De um ataque virulento de progressismo. Para o menino João, não tem ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), não. Não tem ONG, não. Não tem música do Chico, não. O menino João já nasceu sem perdão. É o guri dos sem-Chico Buarque.

3 comentários:

Carla disse...

Pois é, esse texto rlefetiu exatamente o que muita gente sentiu: um misto de tristeza, revolta e impotência!

Carla disse...

ops, refletiu ;P

Dani F. disse...

oI vICAAAAA
ANDEI SUMIDA..AGORA VOLTO AO NORMAL...
BEM O NÚMERO DO CABELEREIRO É...
THIPPOS HAIR
33110333
O NOME DELE É ELISON
BEIJOS E SORTE NAS MADEIXAS..EU QUE PRECISO CORTAR URGENTEEEEE..HAHAHAHAHA